Mudou o comando no Serpro.

Glória Guimarães é a nova diretora-presidente do Serpro, estatal federal de processamento de dados ligada ao Ministério da Fazenda.

A executiva substitui Marcos Mazoni, que esteve à frente da empresa por nove anos. Mazoni foi antes presidente da Celepar, estatal paraense de dados.

As nomeação e a exoneração foram publicadas na edição desta segunda-feira, 23, do Diário Oficial da União.

Antes de chegar à direção do Serpro, Maria da Glória Guimarães dos Santos chegou a ocupar a superintendência da empresa. Ela também passou pelo cargo de vice-presidente de clientes e operações dos Correios do Brasil. 

Glória também executiva da área de tecnologia do Banco do Brasil e secretária de tecnologia da informação do Ministério do Planejamento, cargos em que foi nomeada com o apoio do PT.

De acordo com o site brasiliense Convergência Digital, a nomeação de Glória é causa de “constrangimento” para o PT, uma vez que a profissional é tida como uma apadrinhada do ex-Ministro das Comunicações Paulo Bernardo.

De acordo com o Convergência, havia a expectativa de que Gloria não aceitaria o convite, pois estava sofrendo pressões familiares e políticas no sentido de não integrar a administração Michel Temer.