Qualcomm em apuros? Foto: divulgação.

A Qualcomm, uma das maiores fabricantes de chips do mundo, indicou que deve tomar medidas e fazer cortes para reduzir custos em sua operação, depois de uma queda de quase 50% em seus ganhos no último trimestre.

A fabricante afirmou que pretende diminuir cerca de US$ 1,4 bilhão em custos operacionais, reduzindo postos de trabalho e até mesmo dividindo suas unidades de fabricação de chips da de design e licenciamento de patentes. A informação é do Wall Street Journal.

De acordo com o CEO da empresa, Steve Mollenkopf, o objetivo da multinacional é observar opções potenciais para esta cisão para manter a competitividade e garantir valor de mercado para acionistas.

Entre as medidas estão cortes de 15% na força efetiva de funcionários -  cerca de 31,3 mil ao redor do globo - mais cortes drásticos na estrutura de funcionários temporários. Além disso, compensações e bônus para colaboradores devem sofrer cortes.

No último trimestre, encerrado em junho, a empresa registrou uma queda de 47% em seus lucros e uma redução de 14% na receita em relação ao mesmo período no ano anterior.

Os números puxaram a estimativa da empresa em 2015 para baixo pelo terceiro ano seguido. A companhia reduziu sua venda de chips no terceiro trimestre de 190 milhões de chips para 170 milhões.

Segundo analistas, a queda da Qualcomm tem mais a ver com o crescimento dos concorrentes e uma perda de market share, do que com uma possível queda no mercado de smartphones. Nos últimos anos, empresas asiáticas como MediaTek vem ganhando mercado, ameaçando a participação da companhia norte-americana.

A Samsung recentemente deixou de usar os chips da Qualcomm em suas linhas de smartphones Galaxy S6, optando por colocar placas de fabricação própria.

Frente a estes desafios, a companhia divulgou que para o próximo trimestre a expectativa é uma queda de 30% em receita, podendo cair abaixo da marca dos US$ 5 bilhões. No terceiro trimestre de 2015 - o último divulgado - o faturamento foi de US$ 5,83 bilhões.

Para o ano de 2015, a Qualcomm espera um faturamento na faixa de US$ 24,5 bilhões a US$ 25,5 bilhões, uma queda em relação à receita esperada para o ano, que foi de US$ 27 bilhões.