Paulo Guedes, Ministro da economia. Foto: Washington Costa-SEPEC/ME.

O Ministério da Economia divulgou uma nota para informar que está sendo apurada uma possível invasão no telefone do ministro Paulo Guedes. 

De acordo com o órgão, um ofício será enviado ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para que acione a Polícia Federal. 

A nota afirma que na segunda-feira, 22, vários jornalistas receberam mensagens e ligações em nome do ministro por meio do aplicativo Telegram. No entanto, a nota reforça que o ministro nunca teve conta nesse serviço e pede para que mensagens recebidas do número antigo do ministro, que já será desativado, sejam desconsideradas.

Guedes não é o único a relatar um suposto caso de clonagem de números. No último domingo, 21, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) informou pelo Twitter que teve o telefone clonado. 

Em vídeo ela relata que foram enviadas mensagens para jornalistas em seu nome. 

A deputada afirma também que recebeu ligações do próprio número. A situação é similar à relatada pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, que no dia 5/6 disse também ter recebido uma ligação do próprio número.

Poucos dias depois, em 9 de junho, o The Intercept Brasil publicou as três primeiras reportagens de uma série sobre a operação Lava Jato que conta com o vazamento de diálogos no Telegram realizados em 2018. 

De acordo com o site jornalístico, as matérias foram produzidas “a partir de arquivos enormes e inéditos – incluindo mensagens privadas, gravações em áudio, vídeos, fotos, documentos judiciais e outros itens – enviados por uma fonte anônima”.

O The Intercept ressalta que o recebimento do material por meio da fonte aconteceu “bem antes da notícia da invasão do celular do ministro Moro”.