Steven Birdsall. Foto: Baguete

A oferta de RDS – Rapid Deployment Solutions, soluções que, trocando em miúdos tornam mais simples, baratas e rápidas implantações de ERPs e outros sistemas, promete aniquilar todos os demais modelos de implementação da SAP.

Apesar de apocalíptica, a profecia é positiva: conforme Steven Birdsall, líder global de RDS da multi alemã, o RDS tende a ser o futuro das vendas, afinal, “se você prefere comprar e implantar o software de forma tradicional, mais complexa, cara e demorada, é uma opção sua”.

Um apelo que atinge diretamente as pequenas e médias empresas, mercado ao qual a SAP vem mostrando cada vez mais as garras no Brasil.

Só no ano passado, a linha da multi para o SMB, focada no ERP B1, passou dos 33 mil contratos, e hoje, dos mais de quatro mil clientes que atende no Brasil, 34% são de pequeno porte e 36%, médio.

“O Business One nada mais é do que RDS do ERP, é a versão com menor complexidade, mais acessível. Agora, que ofetamos B1 no Hana, trata-se só de levar este RDS para a nuvem. É automático, e o mercado SMB só tem a se beneficiar com isso”, comenta.

O executivo compara a compra dos pacotes RDS à de uma bicicleta.

“Quando você compra uma bicicleta, vem desmontada, mas traz as peças a montar, as ferramentas com que montá-las, um guia do passo a passo e uma garantia, para suporte posterior. É fácil, rápido, você faz com simplicidade e sai andando. Com RDS, para software, é a mesma coisa”, brinca Birdsall.

Customizadas por verticais, as soluções atendem às demandas de cada projeto específico, e daí a rapidez.

Para exemplificar com um case brasileiro: o Bradesco adotou RDS para implantação do ERP SAP em toda a parte de backoffice, em um projeto que começou em janeiro e foi homologado em abril deste ano.

Outro cliente, este na Holanda, foi a fabricante de comida para animais Provime, que implementou o Hana com RDS em duas semanas e dois dias.

A oferta dos pacotes iniciou massivamente – o que significa treinamento de canais e reforço do marketing junto aos clientes – há pouco mais de um ano.

Nesse meio tempo, já são mais de 100 pacotes oferecidos, nas linhas de ERP, CRM, Hana, B1, All in One e diversas outras.

Em vendas, já foram mais de dois mil pacotes globalmente, dos quais 154 na América Latina.

Por essas e outras, Birdsall vê o RDS como o futuro.

“Nosso desenvolvimento de software tende a ser cada vez mais intencionado para a oferta em RDS”, finaliza o executivo.

* Gláucia Civa cobre o SAP Partner Summit, em Cancun, a convite da SAP.