Bernardo Gomes. Foto: divulgação

A Senior Solution, especializada em software para o setor financeiro, criou um Comitê de Auditoria Estatutário voltado a assessorar seu Conselho de Administração em decisões relacionadas a auditorias e controles internos.

Conforme Bernardo Gomes, fundador e diretor presidente da Senior, a empresa é a primeira do Bovespa Mais a ter um comitê desse tipo, e faz parte de um grupo de 5% das mais de 400 companhias listadas na BM&Fbovespa que o detêm.

O comitê é composto por quatro membros, que foram eleitos pelo conselho.

Como coordenador, entra Luiz Guariente, executivo com mais de 30 anos de experiência na área de auditoria, com carreira desenvolvida em empresas como Deloitte e Itaú Unibanco.

Além dele, o grupo tem a participação de dois representantes dos novos acionistas que ingressaram no capital da empresa na oferta pública de ações: Maurício Safra, analista da Kondor Investimentos, e George Earp, sócio da gestora carioca Leblon Equities.

Augusto Schaffer, membro do Conselho de Administração da Senior Solution e gerente do BNDES, também fará parte do grupo.

Gomes define a instalação do comitê como evolução do modelo de governança corporativa da companhia, que começou a ser definido em 2002, ano em que a empresa foi transformada em sociedade anônima e contratou uma auditoria independente.

Três anos depois, após a entrada da BNDESPar e da Stratus como sócios, a Senior criou um Conselho de Administração, que passou a se reunir mensalmente para discutir a estratégia e acompanhar o desempenho dos negócios.

Em 2012, a companhia listou ações no Bovespa Mais, mercado de acesso à bolsa, e no IPO as ações fecharam em R$ 11,50, 15% abaixo do piso mínimo de R$ 13,50 esperado pela companhia.

“Hoje contamos com um modelo de governança corporativa de primeira linha e  bastante maduro. Listados no Bovespa Mais, já cumprimos praticamente todos os requisitos do Novo Mercado, contando com capital social representado exclusivamente por ações ordinárias, um Conselho de Administração composto por cinco membros e presença de um conselheiro independente, além do free float acima de 25%”, ressalta Gomes.

Já Alberto Camões, presidente do Conselho de Administração da empresa e sócio-fundador da Stratus, o novo comitê vai garantir aproximação entre novos acionistas e aqueles que já faziam parte do capital antes da oferta.

“Abre-se uma possibilidade para que os novos acionistas acompanhem mais de perto o negócio e passem a contribuir no contexto das atribuições do comitê”, afirma Camões.  

Para ele, a iniciativa da Senior pode ser um exemplo para outras empresas de médio porte com intenção de aprimorar o funcionamento de seus conselhos administrativos.

“Considerando que já cumprimos praticamente todos os requisitos do Novo Mercado, acreditamos que, em se tratando de governança corporativa, tamanho não é o mais importante”, conclui.

A Senior Solution atende a mais de 180 clientes entre bancos, seguradoras, gestoras de recursos, corretoras, distribuidoras e empresas não financeiras.

A companhia fechou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 2,07 milhões, queda de 4,2% em relação ao mesmo período de 2012. A receita também caiu 1%, e somou R$ 11,6 milhões.