Baguete
InícioNotícias> Data Center da Telebras recebe Tier IV

Tamanho da fonte:-A+A

GOVERNO

Data Center da Telebras recebe Tier IV

Júlia Merker
// terça, 23/08/2016 11:35

A Telebras recebeu do Uptime Institute o “Design Certification Award from the Tier IV Certification of Design Documents”, referente ao projeto de infraestrutura crítica do Centro de Operações Espaciais Principal Brasília (COPE – P).

A Telebras recebeu do Uptime Institute o certificado Tier IV. Foto: Divulgação.

O COPE-P e o secundário (COPE-S), localizado no Rio de Janeiro, abrigarão os data centers para operação do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC).

No Brasil, apenas um data center do setor privado possui certificação Tier IV (o Santander divulgou, em 2014, que seu data center de Campinas possui o selo). O projeto da Telebras é o primeiro a ser certificado neste nível em órgãos e empresas públicas. 

O processo da Telebras demandou reuniões internacionais e vários meses para o ajuste final do projeto, com maior ênfase nos sistemas de automação e resposta autônoma às falhas, no qual os diversos cenários de defeitos são colocados à prova.

O Uptime Institute, localizado em Seattle, nos Estados Unidos, é uma organização internacional de consultoria focada em melhorar o desempenho, a eficiência e a confiabilidade da infraestrutura crítica por meio da inovação, novas tecnologias e resiliência em data centers. 

Em função da alta complexidade e necessidade de operação contínua do sistema, que envolve a segurança nacional, a Telebras, em conjunto com as Forças Armadas, estabeleceu como premissas que o site principal (COPE-P) deve possuir classificação Tier IV, enquanto o site secundário (COPE-S) e as estações de acesso, a classificação Tier III.

A classificação IV é o mais alto nível de disponibilidade e confiabilidade para a infraestrutura de uma instalação de missão crítica. A classificação é conhecida como “Fault Tolerant” (tolerante a falhas), que deixa o site imune a qualquer paralisação de infraestrutura.

Todos os projetos foram desenvolvidos em tecnologia BIM (Building Information Modeling), que cria digitalmente modelos virtuais precisos de uma construção, sendo todos os desenhos e compatibilização das instalações realizados em 3D, permitindo a visualização da obra em nível de detalhamento real.

Júlia Merker