Microsoft apresenta seus novos Surface. Foto: divulgação.

Ele está de volta, revisado e reformulado. A Microsoft anunciou nesta segunda-feira, 23, as novas versões de seu tablet Surface - o Surface 2 e o Surface Pro 2, além de uma série de novos acessórios para os dispositivos.

A nova geração dos Surface, tablets com tela de 10,6" Full HD, tem seu lançamento previsto para 22 de outubro, com pré-venda já iniciada pela Microsoft.

O Surface 2 é a segunda geração do surface RT, tablet de configurações mais modestas e que não agradou a muitos em sua primeira encarnação.

Novamente um tablet baseado em tecnologia ARM e com suporte a teclados acopláveis, o novo aparelho vem otimizado para receber o Windows 8 e sua próxima encarnação, o 8.1.

Debaixo do capô, algumas mudanças: o dispositivo conta com um processador NVIDIA Tegra 4, aumentando o poder gráfico e velocidade. Além disso, a bateria recebeu um upgrade, com autonomia de até 25% a mais que a versão anterior.

O visual também mudou, com uma carcaça de magnésio escovado que, segundo analistas, parece mais durável que a do anterior. Outro pró: ele está mais barato, saindo por US$ 449 em sua versão mais simples - o primeiro RT custava US$ 499.

PRO 2

Já o Surface Pro 2 é um outro tipo de produto. Voltado a usuários pesados, que exigem mais qualidade que o consumidor médio de tablets, a nova versão do Pro focou seus esforços em bateria e performance, com uma autonomia ampliada em até 60%.

O Pro 2 recebeu um upgrade em sua força de processamento, com os chips Haswell, nova família de processadores da Intel, com capacidade de até 8GB de RAM - o poder de processamento do Playstation 4, para ter uma ideia - e armazenamento SSD de até 500GB.

Visualmente, o novo Pro não está muito diferente, com o mesmo tamanho e peso e a tela de 10,6 polegadas. O preço também continua salgado: US$ 899.

BÔNUS

Para incentivar os compradores, a empresa de Redmond incluiu um pacote de "brindes". Levando um Surface, o consumidor tem direito a 200GB de armazenamento no SkyDrive por dois anos, assim como um ano de Skype, com direito a chamadas internacionais.

Na parte dos periféricos, a grande novidade é a Power Cover, uma nova variedade da já conhecida capa-teclado apresentada com o primeiro Surface. É uma versão mais espessa da capa, que também funciona como uma bateria extra.

Segundo a Microsoft, a Power Cover pode ampliar em até 2,5 vezes a autonomia do Surface. O lado ruim é o preço, que segundo analistas, deve ficar na faixa dos US$ 200.

AGORA VAI?

Mesmo com os prejuízos sofridos com a primeira geração de seus aparelhos, a Microsoft aposta no poder de sua marca e em uma reformulação para virar o jogo e aumentar a competitividade do Windows no mercado de tablets, campinho dominado pela Apple e Google.

Segundo o TechCrunch, o sucesso da nova leva de Surfaces pode ser um momento crítico para a virada da empresa, que registrou prejuízos de US$ 900 milhões devido a tablets encalhados nas lojas, assim como o abandono de fabricantes (OEMs) no suporte ao dispositivo.

"Será interessante ver como as massas vão reagir ao novo Surface RT. Pelo menos, o talento da Microsoft no marketing de seus produtos pode criar uma onda de consumidores dispostos a migrar. Somente o tempo dirá", avaliou o analista Chris Velazco.