iPad mini, em comparação com seu irmão maior, o iPad. Foto: reprodução.

Em cerimônia badalada na tarde desta terça-feira, no California Theater, em Los Angeles, a Apple anunciou sua nova linha de produtos. O grande destaque foi o anúncio da quarta geração do iPad e do iPad mini, que chegam às lojas norte-americanas em 02 de novembro.

Os novos tablets foram apresentados pelo CEO da companhia, Tim Cook. Apresentado primeiro, o novo iPad agora conta com processador A6X dual core, o dobro da capacidade de processamento do atual.

Além disso, o novo dispositivo possui uma bateria com vida útil maior, de até 10 horas, câmera de 5MP, e pesa 650 gramas. O novo conector lightning, introduzido com a vinda do iPhone 5, também foi empregado.

O iPad 4 custará US$ 499 na versão simples de 16GB, apenas com wi-fi, e US$ 629 na mais completa, de 16GB com 4G LTE.

MINI

Atração principal do evento, o iPad mini chega portando uma tela de 7,9 polegadas, contra 9,7 do iPad comum.

Segundo Tim Cook, a versão menor do tablet contará com um processador A5 dual core, conexão lightning, corpo em alumínio com 7,2mm de espessura, 23% mais fino e 53% mais leve que o iPad convencional, pesando 300 gramas.

De acordo com o CEO, o iPad mini rodará todas as aplicações do seu irmão maior sem qualquer necessidade de adaptação, em função do display retina de alta resolução utilizado.

O iPad mini chegará às lojas com preço a partir de US$ 329 na versão wi-fi 16GB, até US$ 649 na versão 64GB celular com 3G, com pré-venda começando nesta sexta-feira, 26.

Mesmo esperada por muitos, de certa forma, a decisão de lançar uma versão menor de seu famoso tablet é um passo inusitado para a Apple.

O fundador da empresa, Steve Jobs, falecido em 2011, declarou em muitas ocasiões que a empresa não tinha planos de lançar um tablet com tela menor que as 10 polegadas do iPad.

“O motivo pelo qual não lançaremos um tablet de sete polegadas não é porque não queremos fazer produtos mais baratos. É porque achamos que é uma tela muito pequena para expressar os softwares", afirmou Jobs em 2010.

No entanto, o sucesso de tablets menores com preços mais camaradas, como o Galaxy Note, da Samsung, Kindle Fire, da Amazon, e o Nexus 7, do Google, devem ter contribuído para a mudança de pensamento na empresa de Mountain View.

Para alfinetar a concorrência, o vice-presidente da Apple, Philip Schiller disparou:

“O nosso tem case de alumínio, e o deles é de plástico e consegue ser mais pesado”, referindo-se ao Nexus 7.

MACBOOK PRO E iMAC

Na ocasião, a Apple apresentou o novo MacBook Pro de 13" com tela retina, com processador Intel Core i5 ou i7 e memória RAM de 8GB.

O aparelho equipado com Intel Core i7 dual core de 2,9 GHz e armazenamento flash de 768 GB é o modelo mais caro.

Já disponível em pré-venda no loja online da Apple Brasil, o computador chega a partir de R$ 7 mil na versão mais simples, com armazenamento de 128 GB, e por R$ 8,3 mil na versão de 256 GB.

A empresa também anunciou os novos iMac e iMac mini.

O novo iMac, o mais fino já feito, segundo a empresa, será comercializado em duas versões, com telas retina de 21,5 e 27 polegadas, porém com espessura 80% menor que o modelo antigo.

Entretanto, a grande novidade desta edição é o novo sistema de armazenamento, composto por um flash drive de 128 GB e um HD normal, que pode variar entre 1TB e 3TB.

O iMac mini recebeu upgrades no departamento de memória RAM e em sua capacidade de armazenamento, e já está disponível nas lojas por US$ 599 em seu modelo de 4GB, enquanto o modelo mais robusto de 64GB sai por US$ 999.