Presidente recebe notícia e miniatura de carro de Ian Robertson, executivo da BMW. Foto: Agência Brasil.

A BMW anunciou no fim da tarde desta segunda-feira, 22, que vai começar a produzir carros no Brasil. A primeira unidade fabril da montadora alemã será instalada em Araquari, região metropolitana de Joinville.

O anúncio foi feito pelo vice-presidente de Vendas e Marketing da empresa, Ian Robertson, depois de uma reunião com a presidente Dilma Rousseff e o governador catarinense, Raimundo Colombo..

O investimento previsto na fábrica é € 200 milhões, e a previsão é que sejam montados até 30 mil veículos por ano.

Conforme o executivo, com a produção local a empresa pretende triplicar as suas vendas no país, se consolidando no mercado de veículos de luxo.

A nova fábrica deverá gerar cerca de mil empregos diretos. Robertson explicou que a empresa vai oferecer capacitação para os empregados locais, com treinamento de trabalhadores brasileiros nas fábricas da Alemanha e de outros países.

Segundo o executivo da BMW, a previsão é de que no final de 2014 a empresa já esteja produzindo veículos no país.

O diretor disse que a produção estará de acordo com o novo regime automotivo implementado pelo governo brasileiro.

A fábrica irá produzir, inicialmente, utilitários pequenos, mas outros modelos podem ser incorporados, se houver procura do mercado.

O primeiro veículo a ser produzido na nova planta é a caminhonete crossover BMW X1, com potencial para expandir a produção para o Série 1 e Série 3.

PRODUÇÃO
Cidade pequena, com 22 mil habitantes, atualmente Araquari tem sua atividade econômica primária na agricultura.

Segundo Robertson, a proximidade do município à região portuária do estado (regiões de Itajaí e São Francisco) é um diferencial, caso a empresa tenha planos de exportar a produção.

“A produção vai seguir a demanda. À medida que o modelo se mostrar mais pertinente para o país, a fabricação será uma consequência”, disse Robertson.

Segundo avaliou, o mercado de carros de luxo no Brasil, que hoje significa 1% do total, tem grande potencial de crescimento.  

O presidente do Sistema FIESC, Glauco José Côrte afirmou que a vinda da montadora é uma grande conquista para Santa Catarina.

"É o fruto de um trabalho bem elaborado e que vai ajudar a consolidar um novo polo automotivo no Estado, que já possui um diversificado parque fabril", disse.