IBM: na nuvem vale união com Microsoft. Foto: Shutterstock.

A IBM e Microsoft, em uma estratégia para aumentar sua competitividade no mercado de cloud, firmaram um acordo de colaboração para aumentar a interoperabilidade de suas soluções nos ambientes em nuvem das duas companhias.

Segundo informaram as duas companhias em nota, o acordo prevê que usuários de serviços de nuvem da IBM, como o SoftLayer, serão capazes de rodar sistemas da Microsoft, como o Windows Server e SQL Server, enquanto os clientes do serviço Azure da fabricante de software poderão usar o WebSphere Liberty e DB2, da IBM.

Com esta atitude, as duas companhias estimam redução de custos para seus clientes, através da utilização de licenças de software que já possuem na nuvem de cada empresa.

A medida é mais uma manobra das duas companhias em endurecer sua concorrência para cima de pesos pesados como a Amazon e Google. No caso da IBM, a medida é cada vez mais imperativa, já que na parte de hardware a empresa vem acumulando perdas.

No início desta semana, a IBM anunciou seu décimo trimestre consecutivo de queda nas vendas, e segundo a CEO Virginia Rometty, o crescimento no mercado cloud é um dos caminhos para a recuperação dos negócios.

De olho nisso, a Big Blue realizou na semana passada outra parceria, com a alemã SAP, também visando o mercado cloud. Pelo acordo, a SAP oferecerá a sua aplicação SAP Business Suite na infraestrutura do serviço SoftLayer, da Big Blue.

Com o acordo, a empresa alemã também permitirá que seus consumidores rodem aplicações e sua tecnologia de computação em memória Hana no serviço da IBM. Com isso, a empresa estende sua opção de ofertas para além de outros serviços de infraestrutura, como o da Amazon, que já tinha esse recurso há algum tempo.

Além disso, a Big Blue anunciou no início deste ano planos para expandir sua cobertura em cloud. Em um investimento de US$ 1,2 bilhão, a empresa planeja abrir novos data centers ao redor do mundo - incluindo seu quinto centro no Brasil. No cenário global, a IBM possui vinte centros de dados.