Google crescendo sob a Alphabet. Foto: divulgação.

O Google divulgou nesta quinta-feira, 23, seu primeiro balanço financeiro após a reorganização da companhia, com a criação da holding Alphabet, contabilizando um lucro líquido de US$ 3,98 bilhões no terceiro trimestre, numa alta de 45,3% na comparação anual.

As receitas tiveram um incremento 13% na comparação anual, para US$ 18,68 bilhões, também superando as projeções do mercado, de receitas de US$ 18,54 bilhões.

De acordo com a companhia, os bons resultados foram impulsionados em maioria pelo crescimento de publicidade em buscas móveis, assim como publicidade em YouTube e outras ferramentas de propaganda.

A empresa não deu muitos detalhes de como suas ferramentas mais inovadoras, como o Google Now e links dentro de apps figuram dentro do resultado.

A divisão de "outras receitas", que envolve a parte de aparelhos, como o Chromecast, tablets e telefones, teve um crescimento de 11%, respondendo por 10,5% da receita da Alphabet dentro do período e mostrando que a empresa de Larry Page está se firmando no mercado de dispositivos.

A empresa não deu maiores detalhes sobre o faturamento do YouTube, que recentemente lançou seu serviço de streaming pago, o Red, contando com conteúdos exclusivos e a retirada de anúncios durante os viídeos.

Segundo analistas, o serviço de vídeo, com seu modelo de vídeos publicitários antes das exibições, deve trazer de US$ 5 a 10 bilhões por trimestre à companhia. Com um preço de mensalidade a US$ 10, resta saber de o YouTube Red terá ganhos semelhantes.

Apesar do saldo positivo, a unificação dos negócios do Google debaixo do guarda-chuva da Alphabet foi visto recentemente pelos investidores como um risco para outras divisões pouco lucrativas - basicamente todas as outras que não são o Google.

De acordo com uma nota do Bank of America para investidores, os negócios do Google não relacionados a internet podem representar um prejuízo de até US$ 4 bilhões, podendo passar a operar no vermelho assim que se tornarem empresas independentes dentro da Alphabet.

Mesmo com o alerta, a reorganização do Alphabet pode ser benéfica para as ações do Google e suas novas empresas-irmãs, de acordo com especialistas. A tendência é que o Google, companhia núcleo da Alphabet, deve se valorizar mais, e no rastro levar os outros negócios da Alphabet.