ENXUGANDO

Microsoft anuncia mais 1 mil demissões

23/10/2015 15:58

Mais demissões na Microsoft. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Mesmo com os bons resultados apontados em seu relatório do terceiro trimestre fiscal de 2015, a Microsoft anunciou cortes em seu quadro de funcionários. Segundo a multinacional, mais mil empregados serão desligados da companhia.

A redução tocará postos de trabalho de diversas áreas e países onde a provedora atua e “reflete adaptações às necessidades do negócio”, segundo divulgou o jornal New York Times.

Este é o segundo corte anunciado pela companhia de Redmond este ano. Em agosto a companhia encaminhou a demissão de cerca de 7,8 mil funcionários da empresa em todo o globo, a maioria de sua divisão voltada à produtos de mobilidade.

Os cortes tiveram reflexos inclusive na operação brasileira da multinacional, embora a companhia não tenha dado detalhes sobre quais ou quantos postos seriam eliminados. Para os novos cortes, a companhia também não deu informações sobre as implicações na operação latino-americana.

No Brasil, a empresa conta com 2,4 mil postos de trabalho.

Os cortes entram em linha o plano de enxugamento da Microsoft, anunciado pelo CEO Satya Nadella em julho do ano passado. O plano envolvia o corte de 18 mil postos de trabalho, o equivalente a 14% do total de empregados da fabricante do Windows.

De acordo com os resultados da companhia no terceiro trimestre de 2015, a receita da Microsoft caiu mais de 12% em relação ao ano anterior, fechando em US$ 20,4 bilhões. Apesar da queda, o lucro trimestral aumentou quase 2%, para US$ 4,62 bilhões.

Veja também

CERTIBIO
Certisign lança unidade de biometria

Como diretor, a empresa contratou Igor Rocha, que atuou na área de identidade digital da Serasa.

DATA CENTER
Coopermil: gestão de TI com Eiti

A Coopermil reestruturou seu datacenter e implantou um projeto de site backup.

BIG PLAYERS
Cloud: a galinha de ovos de ouro

Em valores conjuntos, Google, Microsoft e AWS relataram uma capitalização de mercado de mais de US$ 100 bilhões.