A estrutura do local terá um espaço de co-working com 752 posições de trabalho. Foto: divulgação.

A prefeitura do Rio de Janeiro vai investir R$ 2,5 milhões para transformar um galpão no Santo Cristo, bairro da Zona Portuária, em espaço voltado para a inovação. 

O programa, batizado de labGov.RIO, será desenvolvido em um ambiente de 2,8 mil m² cedido pela Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto (Cdurp).

Serão criadas 12 áreas de atuação, chamadas de verticais, e a iniciativa privada pagará uma cota mensal de R$ 70 mil para escolher o tema a ser trabalhado, mantendo no galpão as equipes que vão buscar a inovação na área proposta. 

Com capacidade para receber até 144 startups, a seleção será feita através de chamamentos públicos.

“O objetivo desse projeto é que a cidade seja um grande laboratório vivo de soluções, que vão sair daqui e beneficiar o cidadão” afirma Júlio Urdangarin, vice-presidente da IplanRio.

A estrutura do local terá fibra ótica para internet de alta velocidade, salas de reunião, local para eventos e um espaço de co-working com 752 posições de trabalho. 

O laboratório terá espaços lúdico, de alimentação, de convivência e área com paisagismo. 

As startups também terão acesso a mentorias e consultorias financeiras.

Será criada ainda uma área de 1,4 milhão de metros quadrados, denominada Porto 21, para servir de laboratório ao ar livre. 

Além disso, o projeto irá absorver empreendedores sociais das comunidades do entorno do galpão. Eles passarão por processo de inclusão digital e terão oportunidade de inovar em seus negócios.

O local será gerido pela Fomenta Rio, empresa de capital misto criada em conjunto pela  Prefeitura, IplanRio e o Centro de Operações Rio (COR).

Cada empresa que for criada dentro do projeto terá que entregar 3% de sua participação societária para a Fomenta, outros 3% para a empresa que pagou pela sua manutenção no espaço e 2% para a gestora do local.