Tempo ficou feio e a Gol resolveu encerrar as operações via Webjet. Foto: flickr.com/photos/leandroneumann

Tamanho da fonte: -A+A

A Gol anunciou que vai encerrar a operação da Webjet com a devolução da frota de 20 aviões da série 737. A decisão ocasionou a demissão de 850 funcionários.

Até o final deste ano, toda a identificação Webjet deve sumir definitivamente. Em conferência com a imprensa, presidente da companhia, Paulo Kaknoff,  afirmou que a mudança faz parte da estratégia de racionalização dos voos da Gol com foco na redução de custos.

Os aviões da Webjet geravam cerca de 30% de custos a mais que os operados da Gol, além da frota exigir mais manutenção por ser mais antiga. Enquanto a frota da Gol tem cerca de seis anos, a da Webjet tinha, em média, 21 anos, informa matéria da Exame.

Além de anunciar a demissão dos 850 funcionários, a empresa absorveu 450 pessoas. Durante este ano, a Gol já havia demitido 2 mil tripulantes de sua própria equipe. Os funcionários desligados estavam nas operações da Webjet em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte.

A compra da Webjet havia sido concluída em outubro de 2011, por R$ 70 milhões. Na época, a Gol também ficou responsável por R$ 200 milhões em dívidas.