Tesouro implementa solução para controlar custos orçamentários. Foto: divulgação.

A Secretaria do Tesourno Nacional (STN) implementou uma nova plataforma para controlarinformações gerenciais referentes à execução orçamentária, financeira, contábil e patrimonial da União.

A ferramenta, chamada Tesouro Gerencial, foi desenvolvida pelo Serpro, com sua tecnologia baseada na plataforma de Business Intelligence da MicroStrategy.

Implementada em janeiro deste ano, o novo software substituiu o SIAFI Gerencial, sistema utilizado pela secretaria desde 1995. Com o TG, a entidade unificou dados provenientes de vários sistemas estruturantes do Governo, ampliando a base de informações até então disponíveis aos usuários do SIAFI.

Segundo a STN, agora é possível gerar melhores relatórios para embasar análises, aumentar o nível de transparência das informações e apoiar o processo de decisão do governo em diversos aspectos, inclusive para melhoria das políticas públicas.

Em comparação com o SIAFI Gerencial, que disponibilizava dezenas de milhões de registros e apresentava apenas informações agregadas, o volume de dados do TG chegará a bilhões de registros por ano.

"O TG disponibiliza os dados do SIAFI em seu menor grão, que são os documentos e os lançamentos contábeis, levando a um crescimento de volume de dados, em média, de mais de cinco milhões de registros por dia", explicou a secretaria em nota.

O sistema consolida as soluções de data warehouse da STN em uma base de dados única, divididas em cinco temas, com consultas gerenciais e pagamento efetivo, Sistema de Informações de Custos (SIC) emissão dos relatórios legais como relatórios da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e Estatísticas Fiscais (GFSM). Além disso, conta com o módulo “Consultas Públicas”, disponível na web e aberto ao público, sem necessidade de cadastramento prévio.

De acordo com Maria Elizabete Vaz, coordenadora geral de soluções analíticas da superintendência de relacionamento com o cliente de Administração Financeira do Serpro, o SIAFI Gerencial apresentava naturais limitações em relação à evolução da tecnologia da informação e encontrava-se obsoleto.

A motivação decisiva para a STN demandar o desenvolvimento do TG, foi o fato de que seria necessário adequá-lo aos requisitos demandados pelo Novo Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP), adotado a partir de 2015.

“Entre as possibilidades que se abrem com a nova solução Tesouro Gerencial, está a construção de painéis de indicadores com atualização diária e automática e visualização por meio de dispositivos móveis”, complementa a coordenadora.

Além da STN, recentemente a Microstrategy levou suas soluções de BI para outra secretaria de finanças públicas. A Secretaria da Fazenda do Paraná (Sefaz-PR) implantou uma plataforma analítica da empresa, com objetivo de apoiar o trabalho dos auditores fiscais do órgão.

A MicroStrategy, fundada em 1989, faturou US$ 576 milhões em 2013, conforme últimos dados divulgados pela companhia.