Nokia não quer mais saber do Symbian. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Crônica de uma morte anunciada. Depois de ser relegado a papel de coadjuvante pela Nokia, sua criadora, com a chegada do Windows Phone, o sistema operacional Symbian deixará de existir.

A Nokia anunciou em seu último relatório financeiro, divulgado nesta semana, que não lançará novos aparelhos com o antigo sistema, lançado em 1998.

A empresa não deu maiores detalhes se a produção dos atuais modelos será descontinuada ou se realmente quando acabarem os estoques atuais, acabará também o sistema.

Conforme apontou a fabricante, no último trimestre de 2012 foram vendidos 2,2 milhões de celulares Symbian, metade do número de modelos Lumia (celular Windows Phone) vendidos no mesmo período.

Agora a Nokia concentrará sua produção nas linhas Asha, feature phones com sistema S40 e Lumia, smartphones com Windows Phone 7.x e 8, conforme aponta o Gizomodo.

O Nokia 808 PureView, lançado na metade de 2012, foi o último telefone da Nokia lançado com o Symbian.

NÃO DUROU

O Symbian chegou a ser a plataforma líder entre os smartphones, capitaneado pela Nokia e por diversas fabricantes como Sony Ericsson e Samsung.

No entanto, a popularização rápida do Android fez a plataforma da empresa finlandesa perder força, e em 2011 o sistema perdeu a liderança para o sistema operacional do Google.

O golpe de misericórdia veio em fevereiro de 2011, quando Stephen Elop, presidente da Nokia, afirmou que a empresa iria se dedicar à produção de smartphones com o sistema Windows Phone.

Vale lembra que, pouco antes deste anúncio, a Nokia já previu o fim do Symbian ao anunciar o MeeGo, novo sistema operacional da companhia, que foi abandonado para adotar a solução da Microsoft.

Mesmo assim, a promessa era de que o Symbian continuaria na praça até 2016, com sua manuetenção feita por empresas terceirizadas.