Prefeitura está de olho nos ônibus. Foto: Ricardo Giusti/PMPA

A prefeitura de Porto Alegre assumiu gestão da bilhetagem eletrônica do transporte coletivo da cidade. 

Até agora, a Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP), que representa as empresas de ônibus, tinha exclusividade sobre os dados. São 1,7 mil ônibus circulando na capital gaúcha. 

Com a mudança, a administração municipal terá controle online de informações como o número de passageiros que utilizam cada linha, os percentuais pagos em dinheiro e pelo cartão TRI, a quantidade de passageiros que têm isenção, entre outras.

Conforme a prefeitura, a medida deve garantir a redução dos custos e da tarifa do transporte coletivo, devido à possibilidade de realizar auditorias periódicas avaliando supostas irregularidades e uso indevido do TRI e de benefícios. 

A questão dos preços é importante. Os cinco primeiros meses de 2016 viram uma queda de 7% na quantidade de passagens vendidas em Porto Alegre, para 16,6 milhões.

A redução também coincidiu com o período de uma das maiores elevações da tarifa já registradas na cidade, de R$ 3,25 para R$ 3,75. 

Em contrapartida, o número de passageiros com isenções na passagem cresce cada vez mais, segundo a EPTC. O levantamento apontou que chega a 34% o índice de gratuidade nas viagens.

Uma equipe será mantida por Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Procempa para acompanhar as informações. 

Um dos integrantes da nova administração da estatal municipal de processamento de dados tem experiência nessa área. 

O novo diretor técnico Michel Costa da Silva, foi diretor da ITS Consulting, uma empresa de Porto Alegre especializada no segmento de transações eletrônicas na área de transportes, redes de venda, varejo, adquirência e meios de pagamento. 

Além disso, o executivo foi diretor da Rede Ponto Certo,  líder de mercado no segmento de adquirência de transporte com clientes em diferentes capitais do país. Costa também passou também muitos anos na Getnet, em cargos ligados à área de transporte.