Os analistas do mercado financeiro esperam baixa de 0,5% no PIB em 2015. Foto: ronstik/Shutterstock.com

Os investidores e analistas do mercado financeiro esperam baixa de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2015. A expectativa piorou em relação à semana anterior, quando era prevista queda de 0,42%. 

Para 2016, a expectativa é que a economia volte a crescer, com elevação de 1,5% do PIB. 

Os analistas também estão mais pessimistas em relação à inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O mercado espera que ela feche 2015 em 7,33%. A projeção anterior era de 7,27%. O teto da meta estabelecido pela equipe econômica é 6,5%. 

Para os preços administrados, que são regulados pelo governo, a estimativa é que haja alta de 10,4%, contra 10% na projeção anterior. 

Com relação à taxa básica de juros (Selic), a previsão é que encerre 2015 em 12,75% ao ano. 

A projeção de câmbio permanece R$ 2,90. A estimativa da dívida líquida do setor público ficou em 37,9% do PIB. A produção industrial deve recuar 0,35% na avaliação do mercado financeiro. 

A projeção do déficit em conta-corrente, que mede a qualidade das contas externas, ficou em US$ 78,4 bilhões – aumento em relação aos US$ 78 bilhões da semana anterior. 

O saldo projetado para a balança comercial caiu de US$ 5 bilhões para US$ 4,4 bilhões. Os investimentos estrangeiros estimados são US$ 60 bilhões.

Os dados, divulgados pelo Banco Central (BC), estão no boletim Focus, pesquisa semanal feita com instituições financeiras.