Telefonica firma contratos com Indra. Foto: divulgação.

A Indra firmou novos contratos com a Telefônica Vivo para prestar serviços de testing de software e realizar a integração da operadora de telecomunicações e a GVT por meio de ERP da SAP.

O primeiro projeto da empresa será o de integrar todos os processos baseados em SAP da Vivo e da GVT, companhia de telefonia fixa comprada pela telecom no ano passsado.

"Os projetos incluem a implantação dos ERP da SAP por parte da multinacional de consultoria e tecnologia com o objetivo de simplificar a arquitetura de sistemas e adotar uma plataforma de gestão única", afirmou a Indra em nota.

Além disso, a Indra firmou outro contrato para a execução de testes das aplicações da operadora assim como a implantação e integração de soluções para melhorar o atendimento ao cliente por meio de ferramentas de controle e automatização.

O suporte a esta operação será prestado pela Indra a partir de seus software labs em Campinas e Goiânia e a área de outsourcing da empresa, com um modelo de serviço próprio 24x7. O contrato, com duração prevista de quatro anos, não teve seus valores divulgados.

Para a multinacional espanhola, os novos acordos reforçam o posicionamento da empresa como parceira tecnológica da conterrânea Telefônica e a Vivo - operadora líder do mercado brasileiro, com mais de 103 milhões de assinantes.

Atualmente, mais de 600 profissionais da multinacional de consultoria e tecnologia prestam suporte na área TI da operadora.

Presente no Brasil desde 1996, a Indra tem no segmento de telecom um de seus mercados mais fortes, prestando serviço a mais de 250 milhões de clientes de telefonia móvel em 20 países. Quatro das dez maiores operadores do mundo são clientes da Indra.

O contrato da Vivo com a Indra vem na sequencia de outro investimento da empresa em suas operações de TI e atendimento. A empresa investiu na implantação do System Center Configuration Manager (SCCM), da Microsoft, para otimizar o controle de seus sistemas, em um projeto realizado com a Brasoftware.

Com a solução, a empresa pretende controlar todo o parque tecnológico de microinformática da empresa, entre lojas Vivo e sedes administrativas da companhia, assim como desktops, laptops e outros dispositivos instalados nas lojas, como totens.