Internet está cheia de produtos piratas. Foto: Pexels.

O grupo especializado em crime cibernético do Ministério Público de São Paulo está usando software da Offer Technologies para localizar ofertas de produtos piratas na Internet.

A startup doou a solução por meio de um acordo de cooperação no ano passado, quando no começo da pandemia do coronavírus.

O uso da tecnologia levou à apreensão de produtos de proteção individual, em especial máscaras, luvas, álcool gel, além de oxímetros e respiradores. Foram cancelados 8 mil anúncios de produtos ilegais feitos nos principais marketplaces do país nos últimos oito meses.

“O papel da tecnologia no combate à pirataria na internet é fundamental, tendo em vista a grande quantidade de anúncios de produtos ilegais que são veiculados diariamente na web. A automatização do processo de busca, detecção e exclusão destes anúncios é a única forma de se obter efetividade neste tipo de atuação”, afirma Felipe Meirelles, diretor da Offer Technologies.

A tecnologia aplicada pela Offer Technologies utiliza algoritmos que vasculham a web e detectam, em grande escala, os anúncios de produtos piratas. 

Uma vez identificado um anúncio ilegal, as tecnologias se comunicam com as principais plataformas digitais de vendas, como Amazon, Alibaba, Mercado Livre, Facebook e Instagram, entre outras. 

O envio das notificações é automatizado e solicita a remoção dos anúncios ilegais identificados. As plataformas recebem as notificações e excluem os anúncios ilegais em poucas horas.

Sediada em Florianópolis, a Offer afirma ser a primeira startup do Brasil especializada no segmento de combate à pirataria na Internet. Ao todo, a empresa já excluiu 2 milhões de anúncios ilegais.

Os clientes são 30 marcas globais, incluindo nomes como Samsung, Arezzo, Grendene, Sociedade Esportiva Palmeiras e Puig Perfumes (detentora de marcas como Carolina Herrera, Paco Rabanne, Nina Ricci e Jean Paul Gaultier).