Fundada em 2003, a FSG é a segunda maior empresa de educação de Caixas do Sul. Foto: Divulgação.

A Advent International anunciou hoje um acordo para a aquisição da Faculdade da Serra Gaúcha (FSG). A transação tem sua conclusão prevista para o primeiro semestre de 2015. Os termos do acordo não foram revelados.

Fundada em 2003 por dois professores, a FSG é a segunda maior empresa de educação de Caixas do Sul. A companhia, que oferece cursos de graduação e pós-graduação para mais de dez mil alunos, também tem operações nas cidades de Bento Gonçalves, Farroupilha e Ijuí. 

“Ficamos felizes em ver um investidor experiente como a Advent apoiando o crescimento da FSG, não apenas na região de Caxias, mas também fora do Rio Grande do Sul”, afirma o Professor Orlando Chemello, co-fundador da FSG.

Para Juan Pablo Zucchini, sócio da Advent, a FSG está situada em uma região estrategicamente importante do Brasil.

“A Serra Gaúcha tem o segundo maior Produto Interno Bruto do Rio Grande do Sul e renda per capita acima da média do Estado. Vemos um grande potencial para o crescimento da FSG tanto na sua região quanto em outras partes do Brasil”, destaca.

A aquisição da FSG é o segundo investimento da Advent no ensino superior. Entre 2009 e 2013, o fundo co-controlou a Kroton Educacional, a maior empresa privada de educação da América Latina e uma das maiores do mundo. 

Depois da compra da Advent, a Kroton multiplicou sua base de alunos em 25 vezes, de 40 mil para mais de 1 milhão de alunos, e realizou sete aquisições, incluindo Iuni, Unopar, Uniasselvi e realizou a fusão com Anhanguera.

“Estamos entusiasmados em trabalhar próximos ao time da FSG para ampliar sua presença geográfica e oferta de cursos. Planejamos atingir esse objetivo por meio de iniciativas de crescimento interno e por um programa de aquisições em que vamos expandir a plataforma da FSG com a adição de instituições de ensino superior com marcas fortes, não apenas na região Sul, mas em todo o Brasil”, ressalta Newton Maia, diretor da Advent em São Paulo. 

No Rio Grande do Sul, os grandes nomes do ensino superior privado são de universidades ligadas a grupos sem fins lucrativos, como os religiosos responsáveis por PUC-RS, Unisinos e Ulbra, e de entidades comunitárias, de UCS e Feevale. O método de aquisições de grupos como Advent foge a esse perfil.

Antes da fusão com a Kroton, a Anhanguera também havia mirado o Rio Grande do Sul. 

Em 2007, a Anhanguera levou a Faculdade Atlântico Sul e Planalto, localizadas em Rio Grande, Pelotas e Passo Fundo por R$ 27 milhões. Apesar de terem causado rebuliço na área acadêmica gaúcha, foram negócios pequenos na escala do Anhanguera. 

Em setembro de 2009, a empresa anunciou a construção de três unidades no Rio Grande do Sul até 2012, em Porto Alegre, Gravataí e Novo Hamburgo, com investimento total de R$ 24 milhões.

Mesmo assim, o modelo de aquisições dos grandes grupos não abalou, na época, as universidades já consolidadas no estado.

A Advent tem investido no país desde a abertura do seu escritório em São Paulo, em 1997. Neste período, a empresa realizou 20 investimentos no Brasil e em outros países da América Latina, além de ter apoiado várias aquisições por parte de suas empresas de portfolio. 

Nos últimos 15 meses, a Advent investiu em outras duas empresas brasileiras: Allied, líder em marketing e fornecimento de produtos tecnológicos; e Cataratas do Iguaçu, a maior concessionária e operadora de serviços em parques naturais do Brasil. 

No Rio Grande do Sul, a empresa também já investiu em outros segmentos. Em 2008, comprou o grupo de varejo Quero-Quero por um valor de aproximadamente R$ 200 milhões.