Chineses aceleram nos carros conectados. Foto: divulgação.

A corrida pelo mercado de carros inteligentes segue aberta. Agora é a vez das chinesas Tencent, criadora do WeChat, e a Hon Hai, controladora da gigante de manufatura Foxconn, entrarem na competição.

Segundo reporta a Forbes, as duas companhias firmaram esta semana uma parceria para explorar oportunidades em carros elétricos e conectados. A aliança alinharia a força da Tencent na web com as capacidades de fabricação da Hon Hai.

A China Harmony Auto, uma das maiores redes de concessionárias automotivas do país, também está no acordo, mas as três empresas não deram mais detalhes de como a parceria será conduzida. A Hon Hai possui uma fatia acionária de 10,5% na companhia.

Entretanto, o que se sabe é que o plano das três empresas é de fazer veículos sustentáveis e conectados por preços baixos. Por exemplo, a China Harmony Auto comprou no ano passado a Green Field Motor, uma empresa local que lançou o e-X5, modelo SUV elétrico que era vendido por US$ 10 mil.

Somado a isso está a expertise da Hon Hai na fabricação de tecnologias conectadas - a Foxconn é a fabricante oficial de produtos da Apple e também produziu algumas das tecnologias para os computadores de bordo e touch screens utilizadas nos veículos da Tesla Motors, atualmente o padrão de excelência em carros elétricos.

Se a briga no mercado ocidente não fosse suficiente, com marcas como Apple, Google, Virgin e Uber ensaiando suas incursões com o futuro lançamento de carros inteligentes, a concorrência também se acirra na Ásia.

O poderoso Alibaba, arqui-rival da Tencent no mercado chinês de internet, firmou nas últimas semanas uma parceria com a estatal chinesa SAIC Motor Corp, investindo cerca de US$ 160 milhões para a produção de carros conectados, que devem chegar ao mercado no próximo ano.

O Baidu, dono do maior site de buscas na China, também está no páreo, com planos de lançar um carro inteligente sem motorista, utilizando a aplicação de mapas da empresa, até o final do ano.