Maria Teresa Fornea, CEO da Bcredi. Foto: Divulgação.

A Bcredi, fintech que oferece crédito imobiliário em um processo 100% online, recebeu um aporte do E.bricks Ventures, concluindo sua rodada de investimento Series A.

Com o aporte, a Bcredi busca fechar 2019 com mais de R$ 1 bilhão em ativos sob gestão.

Fundada em 2017 como braço digital do Banco Barigui, a Bcredi completou seu spin-off do conglomerado paranaense em maio de 2018. A empresa oferece empréstimo com imóvel em garantia e financiamento imobiliário focado em pessoas físicas e pequenos e médios empresários.

"A experiência dos fundadores, aliada ao potencial tecnológico da plataforma e à liderança da Maria Teresa Fornea, CEO, foram fatores decisivos para nosso investimento. Além disso, temos convicção de que a modalidade de crédito com garantia em imóvel, ainda incipiente no Brasil, deve crescer mais de 7 vezes nos próximos anos, atingindo mais de R$ 100 bilhões nesse período" diz Guilherme Cervieri, sócio da E.bricks Ventures.

Nessa modalidade, o cliente pode contratar até 50% do valor do seu imóvel em crédito para utilizar como quiser com prazo máximo de 15 anos. 

Com as taxas praticadas, há uma redução de até 70% do valor das parcelas se comparado à média dos produtos oferecidos no mercado, tanto para pessoa física quanto para pequenos e médios empresários.

O E.bricks Ventures, fundo controlado pelas famílias Sirotsky, da RBS, e Szajman, do Grupo VR, anunciou em 2016 um novo fundo com recursos totais de R$ 300 milhões.

O primeiro fundo do E.bricks, de R$ 100 milhões, foi lançado no fim de 2013 e fez investimentos em 16 empresas. A organização realizou aportes em empresas como  Guiabolso e Contabilizei.