Marcelo Lombardo, CEO da Omiexperience.

A Omiexperience, startup brasileira de software de gestão na nuvem para pequenas e médias empresas, recebeu um aporte de R$ 80 milhões do fundo americano Riverwood Capital, investidor de empresas como 99, GoPro e Netshoes.

É o segundo investimento recente da Omiexperience, que em setembro do ano passado havia levantado R$ 25 milhões do fundo brasileiro Astella. 

Na época do investimento da Astella, aliás, o CEO da Omiexperience, Marcelo Lombardo, disse em nota divulgada à imprensa que a companhia havia sido procurada por "fundos estrangeiros", dispostos a oferecer um valor maior, mas que não havia topado por "não ter necessidade de caixa" e nem querer fazer uma "grande diluição".

Bom, sete meses depois, a Omiexperience está recebendo um aporte de um fundo estrangeiro, e provavelmente, fazendo uma diluição. O Riverwood já investiu antes na chilena Nubox, que atua no mesmo segmento. 

De qualquer forma, a Omiexperience está fazendo sua segunda grande captação de capital. A empresa destaca que o controle acionário da empresa está na mão dos fundadores. 

A ContaAzul, principal rival da Omiexperience, já fez quatro. Ambas startups tem o mesmo modelo de negócio de software de gestão de emissão de notas, finanças e estoques, funcionando de maneira com integrada com escritórios de contabilidade. 

A Omiexperience faturou R$ 23,2 milhões, no ano passado, uma alta de 40% frente aos resultados do ano anterior. 

Lombardo não é um marinheiro de primeira viagem no assunto sistemas de gestão: nos anos 90, criou a NewAge Software, vendida para a Toutatis Global em 2013.

A ContaAzul não divulga faturamento. De acordo com informações levantadas pelo Valor Econômico, a companhia faturou R$ 40 milhões em 2017.