Divulgação

O Banco PanAmericano contratou a Advanced IT para implementar o seu projeto de BI.

Iniciado em fevereiro desse ano, o processo deve ser concluído em julho de 2012, e prevê a construção de uma ferramenta utilizando o Oracle BI para uma base de dados gerencial com informações de indicadores de risco de crédito para o banco.

Não foram revelados detalhes do projeto, como o valor e o número de usuários da ferramenta dentro o PanAmericano.

Segundo o banco, no entanto, a ferramenta se destinará, inicialmente, às áreas de atendimento de crédito para avaliação de propostas e gerenciamento de carteiras e inadimplência.

A intenção do projeto é o monitorar melhor os indicadores de avaliação de safras concedidas, bem como de controlar o risco ou o saldo financeiro dos contratos ativos das carteiras de crédito.

Um exemplo de relatório é o de indicadores de performance de carteira, que mede, de acordo com as faixas do Banco Central do Brasil, os níveis de inadimplência por segmento de mercado ou faixa de produto.

Isso deve possibilitar um melhor controle das métricas e KPI’s (indicadores-chave de desempenho, que medem o nível de desempenho de processos) da financeira.

Os dados também estarão modelados e documentados na ferramenta Oracle Data Integrator, de forma a permitir a integração posterior com outras informações.

INFRA COM ATIVAS
Essa é a segunda grande operação de TI do banco no semestre. Em abril, a Ativas, empresa de TI dos grupos Asamar e Cemig, assumiu a administração da infraestrutura de TI do PanAmericano.
 
O projeto inclui estrutura de site backup, com políticas de backup e de proteção contra downtime não planejado, planos de recuperação de desastres, sistemas de prevenção contra intrusos, monitoração e service desk 24x7.
 
O site backup também coloca a instituição em conformidade com normas do Banco Central.

O PANAMERICANO
As mudanças na TI da instituição – focada em financiamento ao consumo para pessoas físicas das classes B, C, D e E – seguem a nova administração do banco, que assumiu no início de 2012.

No ano passado, o BTG Pactual comprou a participação de Silvio Santos no Panamericano por R$ 450 milhões. Com a operação, o BTG passou a deter 34,64% do Panamericano, com 51% das ações ordinárias, o que garante o controle do banco, e 21,97% das preferenciais.

Presente em todo o território nacional, o PanAmericano conta com 237 pontos de venda e presença em 6.891 concessionárias e revendedoras de veículos novos e usados.

O portfólio do PanAmericano inclui crédito hipotecário, seguros e financiamento a empresas.

No primeiro trimestre desse ano, o lucro líquido do banco foi de R$ 2,9 milhões, com uma carteira total de crédito expandida de R$ 10,2 bilhões.

São 2,3 milhões de clientes ativos.