Daten e Zmax unem operações. Foto: divulgação.

Com o plano de reforçar sua presença no mercado de PCs e aumentar a competitividade frente aos grandes nomes do setor, as fabricantes nacionais Daten e Zmax anunciaram a fusão de suas operações.

As duas empresas, que possuem suas fábricas em Ilhéus, na Bahia, manterão seus nomes em seus produtos.

Pelo acordo, a Zmax assumiu 15% do capital da Daten., que irá manter sua marca nome e expandir sua linha de produtos para o varejo. A Zmax irá incorporar sua linha de produtos para esse segmento.

Segundo divulgado pelas empresas em nota, para o segundo semestre deste ano está previsto o lançamento de novas linhas de produção.

Com as duas fábricas localizadas em Ilhéus (BA), a expectativa é de que juntas as empresas faturem, até o final deste ano, mais de 80% em comparação a 2012.

“Com os valores e compromissos das empresas alinhados, temos certeza de que essa parceria será de muito sucesso”, diz Flávio Costa novo sócio- diretor da Daten.

Para Christian Dunce, sócio- diretor da Daten, a parceria unificará o melhor de dois mundos. Segundo destaca matéria do Valor, em 2012 o valor somado das duas operações chegou a R$ 100 milhões.

“Estamos certos de que este acordo trará benefícios tanto para nós quanto para nossos clientes, gerando uma capacidade competitiva necessária para crescer nesse mercado. A parceria irá unificar o melhor de dois mundos”, afirma Dunce.

CRISE NOS FABRICANTES?

O anúncio da fusão reflete o atual mercado de PCs no país, em que fabricantes nacionais estão encontrando dificuldades em reforçar suas vendas, frente ao declínio da procura por este tipo de produto, mas também pela forte concorrência de empresas internacionais como HP, Dell e Lenovo.

Segundo afirma um levantamento do IDC, das 10 fabricantes que mais venderam PCs no Brasil em 2010, seis eram brasileiras. Em 2012, apenas a Positivo, Itautec e CCE estavam na lista.

Num plano geral, a participação das empresas nacionais ainda é relevante, contando com 54% do total de vendas, em número de unidades. Em 2010, esse percentual era de 64%.