Antonio Carlos Valente, presidente da Telefônica Vivo. Foto: divulgação.

A Telefônica Vivo firmou uma parceria de cooperação técnica com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para implantar sistemas e equipamentos de monitoramento de riscos climáticos.

Assinado juntamente ao Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), uma divisão do MCTI, o acordo prevê a instalação de 1,5 mil pluviômetros em edifícios do governo federal e em torres de telefonia.

252 pluviômetros em 19 estados já serão instalados imediatamente, ampliando o projeto que foi iniciado de forma piloto na cidade de Mauá, no ABC paulista. O valor do investimento no projeto não foi divulgado pela Vivo.

Conforme destaca matéria da Computerworld, a parceria visa a criação de uma rede ampla de coleta de dados, melhorando do monitoramento de eventos extremos de origem meteorológica, como cheias, inundações, deslizamentos de terra, secas e estiagens.

Os equipamentos serão ligados à rede de telefonia móvel da Vivo existente próximo às áreas de risco selecionadas pelo Cemaden e as informações coletadas pelos pluviômetros serão enviadas via 3G.

Os dados serão recebidos em uma M2M denominada Vivo Clima, para armazenamento e gestão de dados, e repassadas ao centro de monitoramento do Cemaden.

Com o aumento de velocidade na transmissão de dados, a expectativa é reduzir o tempo de resposta em caso de emergências.

"Este acordo contribui para mudar a característica do monitoramento pluviométrico, tornando-o mais ágil e eficaz do ponto de vista da proteção das pessoas que vivem em áreas de risco", afirma Antonio Carlos Valente, presidente da Telefônica Vivo.