A Atar Band começou a ser comercializada no dia 18 de maio, por R$ 249. Foto: Divulgação.

Uma startup de Timbó, em Santa Catarina, acaba de lançar o primeiro wearable para pagamentos do Brasil. Criado pela Atar, o equipamento começou a ser comercializado pelo site da empresa no dia 18 de maio, por R$ 249. 

O primeiro produto lançado pela empresa, que já recebeu R$ 1 milhão em aportes, é a pulseira Atar Band, que é a prova d’água e sem uso de bateria. Para fazer um pagamento, basta aproximá-la da máquina de cartão e digitar a senha.

A Atar Band funciona por meio da tecnologia de transmissão de dados sem fio por aproximação (NFC). O acessório vestível é integrado a um aplicativo mobile, que permite ao usuário receber notificações a cada compra e acompanhar o histórico de pagamentos. 

“Queremos ajudar as pessoas a se livrarem de carteira, cartões e moedas e melhorar a experiência de compras e pagamentos presenciais, trazendo mais rapidez, simplicidade e segurança”, comenta Orlando Purim Junior, CEO da startup. 

Para fazer pagamentos com a pulseira, o usuário precisa acessar o aplicativo da Atar e gerar um boleto com o valor que quer colocar na pulseira para os próximos usos. A empresa pretende integrar novas formas de creditar a pulseira no futuro, como transferência bancária e cartões de débito e crédito.

Pagar que o usuário possa pagar com o wearable, o estabelecimento precisa contar com uma máquina de cartão que aceite a tecnologia NFC. Após inserir o valor da compra na máquina de cartão, o usuário aproxima o acessório do equipamento e coloca a sua senha pessoal.

Segundo a empresa, a pulseira tem como principal concorrente o Apple Watch, da gigante americana. O CEO, no entanto, apresenta algumas vantagens da pulseira em relação ao produto da Apple.

“A pulseira é a prova d’água e não precisa de bateria. A bateria, inclusive, é um grande empecilho da massificação dos wearables mundo afora e por isso, desde o início sabíamos que precisávamos fazer um produto que não precisasse de fios ou recarga para funcionar”, completa. 

A tecnologia da Atar foi apresentada ao público pela primeira vez durante o Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras (CIAB) de 2015. No ano passado, a startup também participou do Techcrunch Disrupt São Francisco e do programa de inovação criado pelo Bradesco, o InovaBRA. 

Além de Orlando Purim Junior, que foi co-fundador do JogoMarcado.com e trainee da Bosch Rexroth, a Atar tem como co-fundares Mike Allan Pellin (COO) e Luiz Fernando Heidrich Duarte (CTO).

O CTO da Atar também atuou como CTO da Oneon, que era focada em atuação residencial, entre 2008 e 2014. Já Pellin também foi trainee da Bosch Rexroth no mesmo período que Purim Junior.