Monotrilho em São Paulo é uma das obras da CR Almeida. Foto: Guilherme Lara Campos/ GESP

O grupo paranaense CR Almeida, controlador da concessionária EcoRodovias e dono de um faturamento de R$ 2,6 bilhões em 2012, está implementando o Fluig,  plataforma de gestão de processos, documentos e identidades da Totvs.

Com a solução, a companhia vai acelerar o andamento dos contratos ao possibilitar a validação do mesmo pelo departamento jurídico por meio da ferramenta. 

“A partir de agora, todos os contratos serão elaborados e validados digitalmente por meio da plataforma. A versão física será impressa apenas após a aprovação final”, explica o coordenador do Centro de Serviços Compartilhados da CR Almeida, Rogério Carvalho.

Além disso, a solução de gestão de identidade permitirá que os funcionários acessem todas as soluções utilizadas pela companhia por meio de um único login e senha.

A tecnologia será usada também como uma intranet, permitindo que os funcionários façam solicitações de remessa e conversem com os demais colaboradores por meio da rede social da ferramenta.

 As funcionalidades da ferramenta serão implementadas gradativamente na matriz e em todos os canteiros de obras.

Cerca de 530 funcionários da CR já usava software de gestão da Totvs para as áreas de contabilidade, compras, estoque/custos, gestão de contratos, ativos fixos e RH há quatro anos.

Hoje, a EcoRodovias representa 70% da receita do grupo CR Almeida. Os negócios de construção representam  20%, enquanto uma participação em uma fábrica de explosivos [a Britanite Indústrias Químicas] gera 10% das receitas.

As empresas do segmento do construção parecem ser um dos alvos da Totvs para o Fluig. 

No começo do ano, a empresa divulgou a adoção do software na Lamb, construtora gaúcha, que, segundo ranking da revista especializada O Empreiteiro é a 22ª mais bem classificada em receita bruta entre as construtoras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.

Em abril, ainda era pequeno o número de clientes da Totvs já usa alguma funcionalidade do Fluig: pouco mais de 100, em uma base de 26 mil organizações atendidas. 

A empresa está comprometida com a causa. No ano passado, a companhia tomou um financiamento de R$ 658 milhões junto ao BNDES – o maior da sua história – e anunciou que do total R$ 58,4 milhões seriam investidos na ferramenta.