Tatiane de Souza. Foto: divulgação.

A prefeitura de Novo Hamburgo, cidade localizada no Vale do Sinos, a cerca de 50 quilômetros de Porto Alegre, investiu cerca de R$ 1 milhão para modernizar seu atendimento em saúde, com a informatização de sistemas e a adoção de equipamentos para atendimento.

Um processo iniciado em 2011, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a Secretaria de Tecnologia (SETID), a administração apostou na criação de uma base de dados para seus pacientes.

Através da base, que já atende milhares de cidadãos - a prefeitura não informou o número total de cadastros - os médicos podem consultar prontuários dos pacientes com fotografias, prescrições de medicamentos, assim como tratamentos e condições de familiares.

Os dados são vinculados ao número do cartão do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo destaca Tatiane de Souza, diretora de governo eletrônico e sistemas de saúde da SETID, o objetivo com os dados informatizados é construir uma memória sobre o paciente, assim como agilizar os atendimentos.

De acordo com a diretors, com a base informatizada se tornou possível cruzar informações e tornar os processos mais rápidos. No laboratório público da cidade, o número de exames mensais pulou de 25 mil para 55 mil com o mesmo número de equipamentos e mesma equipe.

"Fizemos isso somente automatizando o processo de análise, onde os equipamentos de  bioquímica são interligados ao sistema e recebem os tubos com as amostras já etiquetadas com o código de barras identificando o paciente e os tipos de exames a serem analisados", explica Souza.

Outras recursos também foram implementados, como o de georreferenciamento, que usa relaciona dados em diferentes pontos da cidade para a detecção de possíveis focos de doenças ou epidemias.

O acesso aos dados também foi estendido aos pacientes, com a criação de um portal da SMS, em que pacientes podem acessar dados de consultas, impressão de resultados de exames feitos no laboratório público da cidade, atestados. Com o cadastro, os usuários também recebem lembretes.

"Todos os usuários um dia antes da consulta, os pacientes recebem um torpedo avisando o local a data e hora de sua consulta, o que diminuiu em 10% o índice de faltosos nas consultas", explica.

Segundo destaca Souza, o plano do município com esta integração é ter uma base geral da saúde no município, desde os que usam as unidades públicas até quem tem plano de saúde e vai em hospitais particulares.

"Nosso objetivo é atingir 100% da população hamburguense, mesmo sabendo que nem toda a população utiliza o SUS", destaca a diretora.

TABLETS

Também parte do investimento do município, médicos que atendem nas unidades de saúde da família (USFs), receberam em abril tablets com 3G para substituit os prontuários em papel.

Neste primeiro momento, apenas 15 das 26 USF terão acesso aos tablets. As unidades escolhidas ficam em zonas de maior vulnerabilidade social e que concentram o maior número de atendimento. De acordo com Souza, o município ainda não mediu os resultados com o uso dos dispositivos.

"Começamos a utilizar os tablets há pouco tempo para termos uma avaliação significativa, mas o resultado do uso deste tipo de tecnologia é a agilidade no atendimento e qualidade no diagnóstico, com o acesso a informação do prontuário do paciente dentro do domicílio das pessoas.

Segundo destaca a SMS, o plano do município é contemplar todos os médicos das unidades até o final de 2015.

ANEL ÓPTICO

A integração dos sistemas de saúde faz parte de um plano mais ambicioso anunciado em Novo Hamburgo, ainda em 2012. Em uma estrutura de 28 quilômetros de fibra óptica, o anel interligará 36 prédios, como escolas e unidades de pronto atendimento, em 24 vias com links de 1Gbps disponíveis por ponto.

Além de prédios da prefeitura, a rede atenderá outros órgãos públicos como a Câmara de Vereadores e a Fundação de Saúde Novo Hamburgo (Hospital Geral). Na época do anúncio da obra (dezembro de 2012), a previsão de entrega era em abril de 2013.

De acordo com Souza, o anel óptico já foi licitado e está em fase de execução.