Ligações se acumulam no celular de Daniel. Foto: Daniel Chaves.

Tamanho da fonte: -A+A

Daniel Chaves, um jornalista de Porto Alegre, recebeu o que ele estima serem quase 200 ligações do setor de cobrança da Sky. Detalhe: nenhuma era para ele.

As chamadas, que começaram em julho, perguntam por um cliente em débito com a companhia chamado Gustavo.

Nas primeiras ligações, Chaves tentou explicar que ele não era o Gustavo em questão e pediu para ter o número descadastrado.

“Nunca adiantou. Eles desconversam e desligam”, resume o gaúcho. Semanas atrás, o jornalista procurou o @SkyResponde, canal da empresa para ouvir reclamações no Twitter.

Através do perfil, a empresa respondeu pedindo o número de telefone de Chaves. Ele respondeu. Só que a empresa nunca ligou. As chamadas do departamento de cobrança, no entanto, seguem chegando todos os dias.

Pode parecer pouca coisa, mas receber dezenas de ligações perguntando por outra pessoa pode ter efeitos acumulativos inquietantes.

Chaves, que nunca foi cliente da Sky e não tem nem um Gustavo na família, narrou em seu blog os efeitos do que parece ser a operação em silos e os bancos de dados problemáticos da operadora de televisão por assinatura sobre sua personalidade.

"Estou tendo crises de identidade. Hoje, na rua, gritaram “Gustavo!” e eu olhei pra trás com aquela cara “Opa! Sou o Gustavo, você é quem?”, brinca o jornalista, conservando o bom humor.

O caso das chamadas segue, sem perspectiva de parar. Gustavo, digo, Daniel, está determinado a nunca ser cliente da Sky.

“Nem se só sobrarem eles como TV a cabo no MUNDO e eu tenha que assistir Ratinho o resto da minha vida”, promete o jornalista.