Vitrine virtual do Pão de Açúcar Delivery. Foto: divulgação.

Parece coisa de filme futurista, mas em alguns locais de São Paulo, empresas já estão usando as vitrines virtuais como forma de atrair os clientes e fazer suas vendas de uma nova maneira.

Segundo o site G1, no início de julho, o supermercado Pão de Açúcar lançou uma vitrine com mais de 300 itens no Shopping Cidade Jardim, região nobre da capital paulista.

O projeto, com o nome Pão de Açúcar Delivery, faz parte de um investimento de R$ 5 milhões da empresa, expandindo as suas operações de e-commerce.

As vitrines simulam gôndolas de supermercado, mostrando as imagens dos produtos com um código de barras tridimensional - QR code. Ao posicionar o celular em frente ao código, o consumidor adiciona o item a sua compra, que é entregue em casa horas depois.

Para fazer a compra, o consumidor pode baixar um aplicativo da empresa que disponibiliza os produtos. O pagamento é realizado via cartão de crédito.

O Pão de Açúcar abriu os olhos para a tendência depois que a Tesco, terceira maior varejista do mundo, que inovou ao lançar vitrines virtuais em metrôs e estações de ônibus na Coreia do Sul, em 2011, o que incrementou o faturamento da empresa em 76%, segundo informação da própria empresa.

“Já tínhamos alguns facilitadores para viabilizar o projeto, como o aplicativo de e-commerce. Tivemos apenas que adaptá-los para a leitura dos códigos. Só ligamos os pontos e procuramos um bom espaço para o lançamento”, explica Andréa Dietrich, gerente de marketing digital do Grupo Pão de Açúcar.

O Pão de Açúcar lançou os aplicativos de venda on-line em 2010, para Android e iPhone. Para fazer as compras na vitrine, o usuário deve baixar o programa no celular e posicionar a câmera do aparelho em frente ao código do produto escolhido.

Na primeira semana de uso da vitrine virtual, o Pão de Açúcar registrou um incremento de 70% no volume de downloads do aplicativo.

A companhia também teve um aumento de 50% nos pedidos feitos pela plataforma iPhone no mês de julho em comparação com junho.

Com o projeto, a empresa que aumentar em 30% as vendas pelo canal até dezembro deste ano.

“Um dos grandes objetivos da ação era reforçar o pilar de inovação do Pão de Açúcar, e isso foi bastante disseminado. As vendas e os pedidos estavam em segundo plano. Queríamos testar o formato. Estamos trabalhando com futuro e tendências e nos preparando para esses próximos movimentos do mercado”, explica Andréa.

SUBMARINO TAMBÉM TESTOU

Em setembro de 2011, o site de vendas Submarino também aplicou uma iniciativa semelhante no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

O site disponibilizou livros, cds, dvds e outros produtos em vitrines virtuais no aeroporto.

Diferentemente do método do Pão de Açúcar, o Submarino não exige a instalação de um aplicativo exclusivo. Os QR codes fazem o redirecionamento para o site da empresa, onde os consumidores podem concluir a compra.