A Loggi, que conecta clientes e motoboys, recebeu R$ 50 milhões. Foto: Firman Wahyudin/Shutterstock.

A Loggi, plataforma online de entrega que conecta clientes e motoboys, acaba de receber um aporte financeiro de R$ 50 milhões de três fundos de capital de risco - Dragoneer Investment Group, Monashees Capital e Qualcomm Ventures. 

O Dragoneer Investment Group é um fundo especializado em marketplaces, com investimentos em empresas como Airbnb, MercadoLivre, Alibaba e Etsy. 

Esta é a terceira rodada de investimentos na Loggi. Os fundos Monashees Capital e Qualcomm Ventures já haviam investido na empresa, aportando R$ 10 milhões, em setembro de 2014. O aporte inicial foi no valor de R$ 2,6 milhões, feito por investidores-anjo em outubro de 2013. 

Fabien Mendez, CEO e co-fundador da Loggi, tem como meta - com apoio do investimento - manter o crescimento mensal de 30% do número de clientes da Loggi. A plataforma possui atualmente 10 mil clientes corporativos. 

Em operação há menos de dois anos, a Loggi atua com uma rede de mais de mil motoboys habilitados, que fazem mais de 150 mil entregas por mês na grande São Paulo.

O serviço de entregas expressas pode ser solicitado pelo site da Loggi  ou por smartphones iOS e Android.

O mercado de apps para encontrar motoboys tem diversos concorrentes, muitos deles criados em 2014, como Motomov e Speedyboy.

Em agosto do ano passado, o Incube, fundo de investimento com foco em aplicativos e tecnologias móveis, anunciou um investimento de R$ 3 milhões na 99Motos, serviço de chamada de motoboys para a grande São Paulo.

Com a aquisição, a empresa lançou uma nova companhia, a MovMov.it, com o objetivo de oferecer uma plataforma completa de mobilidade urbana e logística para clientes corporativos.