Fábio Gagliotto e Leonardo Perosa Franciscatto, fundadores do Nós Queremos Casar.

Muita gente gostaria de casar - se tivesse dinheiro. Focado na solução desse problema comum, acaba de entrar no ar o Nós Queremos Casar, uma plataforma de financiamento coletivo para casamentos criada pelos fundadores do site de organização Nós Vamos Casar.

“Pela experiência com o site de organização, sabemos que muitas pessoas acabam vendo seu investimento no evento ser compensado pelos presentes que recebem - que pelo site chegam em dinheiro. Mesmo assim, a chance de receber o valor antes da festa, e não como presente, pode ajudar muitos casais”, relata Leonardo Perosa Franciscatto, fundador do site.

Para começar o crowdfunding, os noivos montam um projeto na plataforma e indicam o valor que gostariam de receber - com limite de R$ 50 mil.

Após a análise do Nós Queremos Casar, para garantir que o projeto seja realmente ligado a um casamento, o casal pode divulgar a página e buscar o apoio financeiro.

“Entre os casais já cadastrados, a média de valor solicitado tem ficado em R$ 15 mil. Pela política do site, os noivos não precisam atingir o valor indicado para receber o dinheiro”, explica Franciscatto.

A empresa fica com 3% do valor arrecadado pelos noivos, que também pagam ao PayPal uma taxa de aproximadamente 7%.

A meta da empresa é contar com 10 mil projetos de crowdfunding até o final do ano que vem.

O primeiro site do grupo, o Nós Vamos Casar, hoje conta com 2,6 mil noivos ativos. A cada mês, o portal recebe entre 300 e 400 novos cadastros.

A meta da empresa é contar com 10 mil noivos ativos no final do ano que vem.

Como o site é gratuito para os noivos, a remuneração da empresa vem do Guia de Fornecedores do portal, que indica empresas com serviços relacionados a casamentos, como locadores de veículos e produtoras de vídeo e fotografia.

Para fazer parte do guia, as empresas pagar R$ 300 ao ano. Também existem outras formas de anúncio no portal.

“O guia serve como um catálogo com sugestões de serviços, para facilitar a busca dos noivos, mas não há obrigatoriedade de contratação desses fornecedores para utilizar o site”, explica Franciscatto.

Hoje, para incrementar o guia e atrair fornecedores, o site conta com dois vendedores. Até o final de 2015, a expectativa da empresa é contar com 1 mil empresas no catálogo.

“O foco inicial é na região Sul, mas depois iremos buscar empresas de outras capitais de estados brasileiros, partindo para região sudeste”, relata.

O site foi criado em Santa Catarina. Antes de começar o portal, Franciscatto atuou como analista de sistemas e desenvolvedor Delphi nas empresas VH Soluções em TI e Softplan Planejamento de Sistemas.

Com o site, tem potencial para atingir um mercado que está em alta no Brasil. O país registrou em 2012 mais de 1 milhão de casamentos. O número total foi 1,4% maior do que o registrado em 2011. 

No mesmo período, o número de divórcios recuou 1,4% em relação ao ano anterior. 

Os dados fazem parte do estudo "Estatísticas do Registro Civil de 2012", a mais recente publicação do IBGE sobre o assunto.