A Stara entrou com pedido de registro de companhia aberta. Foto: Divulgação.

A fabricante de máquinas e equipamentos Stara, de Não-Me-Toque, no norte do Rio Grande do Sul, entrou com pedido de registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

De acordo com o Valor Econômico, o processo, com data de 10 de outubro, está em análise pela autarquia que regula o mercado de capitais.

A Stara registrou um prejuízo de R$ 15 milhões no ano passado. Já em 2014 a empresa conquistou lucro de R$ 33 milhões. A receita líquida foi de R$ 469,3 milhões no ano passado, queda de 26,5%. 

A BNDESPar, braço de investimentos do BNDES, entrou no ano passado no capital da empresa, com uma participação de 10,2%. 

Nos últimos anos, a Stara tem investido em inovação como parte de uma aposta mais ampla para se posicionar como uma empresa de produtos de alta tecnologia.

Em 2015, a empresa equipou representantes com tablets da Samsung com um aplicativo para dar suporte no atendimento a clientes no campo.  

Criada pela T-Systems, que ao longo de 2014 foi a responsável pela implantação de um ERP da SAP na companhia, a solução permite um fluxo mais rápido de informações entre os profissionais e a empresa, com os dados voltando em apenas 12 horas, frente a um prazo de até 90 dias antes.

Os dados do pós venda são alimentados no sistema de gerenciamento de ciclo de vida do produto (PLM, na sigla em inglês) Windchill da PTC usado na Stara.