HP Elite X2. Foto: divulgação.

A HP Inc. apresentou esta semana sua nova investida no segmento de tablets com o lançamento do Elite x2, produto voltado especialmente a clientes corporativos.

Segundo a fabricante, o novo aparelho chega para "oferecer a produtividade de um notebook completo com a conveniência de um tablet projetado para o profissional móvel".

Já disponível nos Estados Unidos e Europa, o HP Elite x2 tem previsão de disponibilidade no Brasil em março de 2016, com preço inicial de R$ 6.999.

Baseado no sistema Windows 10, o novo aparelho aposta em alto desempenho com processador Intel Core M Vpro, em um design compacto, com tela de 12" HD, 8,1 mm de espessura e menos de 1 kg em peso.

O aparelho também conta com uma teclado acoplável e caneta stylus, semelhante ao que a Apple promoveu com seu último tablet, o iPad Pro.

“Projetamos o HP Elite x2 para que seja fino, leve e potente de maneira que capture a simplicidade, a capacidade de manutenção, a segurança e a capacidade de gerenciamento que os departamentos de TI precisam para possibilitar a verdadeira produtividade móvel”, diz Michael Park, VP e gerente geral de mobilidade de sistemas pessoais da HP Inc.

Entre os recursos otimizados para o uso em ambientes corporativos estão aplicações de segurança de nível de BIOS com HP Sure Start integrado, gerenciamento com HP Touchpoint Manager, além de capacidade de gerenciamento no local.

Para a HP, o novo tablet atende às necessidades corporativas por ser projetado para fácil capacidade de manutenção para reduzir paralisações do sistema e manter os usuários produtivos.

"Isso significa que a TI pode manter a produtividade do usuário final com reparos em campo oportunos e mais baratos simplesmente removendo a tela e substituindo os componentes internos", afirmou a fabricante em nota.

Para a HP Inc., aproximar seus tablets do segmento corporativo é uma maneira de fazer decolar sua divisão de dispositivos móveis, que não decolou junto a um povoado mercado para consumidor final. A manobra da companhia se assemelha a estratégia adotada pela fabricante para os PCs.

Entretanto, o mercado de tablets para consumidor está estgnando, conforme apontam especialistas. Para o Gartner, o mercado de tablets deve registrar quedas de 5% ano a ano a partir de 2015.

Para o Gartner, a adoção de tablets no ambiente corporativo pode aliviar essa queda, devido a menores ciclos de reposição e maior demanda de compra por novos dispositivos.

De olho nesta oportunidade, outras fabricantes como Samsung, Microsoft e Apple, já fizeram suas movimentações. O exemplo mais notável foi o da Apple, que lançou este mês o iPad Pro, tablet de 12" voltado ao uso profissional.

Apesar da badalação de alguns que acreditam no iPad Pro como o disruptor dos tablets para trabalho, os primeiros resultados não foram muito animadores, conforme relatório da consultoria Localytics.

Ao contrário de outros iPads, que rapidamente abocanharam fatias do market share de produtos Apple, o Pro figura timidamente no último lugar da lista de tablets da fabricante, com 0,3% de share.

O desafio da HP não é muito diferente do enfrentado pela Apple, mas segundo o mercado aponta, ambos estão complicados.