BB investe alto em software IBM. Licitação dispensada.

Tamanho da fonte: -A+A

Em um contrato sem licitação, o Banco do Brasil investiu R$ 430,3 milhões em software da IBM para seu ambiente de processamento de dados, além de suporte e apoio ao desenvolvimento de soluções e de infraestrutura.

A informação é do blog Capital Digital, que avalia inexigibilidade de licitação em função de notória especialização ou de inviabilidade de competição como argumentos para a dispensa da licitação na compra feita pelo BB.

Ratificado em publicação no Diário Oficial da União em 24 de dezembro de 2012, o contrato foi assinado quatro dias depois.

Procurada pela reportagem do Baguete, a assessoria do Banco do Brasil não se posicionou sobre o assunto até o fechamento desta edição.

O contrato com a IBM enche mais o cesto de compras do BB em tecnologia nos últimos meses.

Há pouco, o banco fechou com a AgênciaClick – desta vez via licitação – para atender à conta digital da instituição financeira por três anos, por R$ 66 milhões.

Foi a maior verba da história da publicidade digital brasileira.

Em dezembro passado, o BB também se tornou o primeiro banco a usar o Intel Identity Protection Technology (IPT), tecnologia de proteção de identidade então recém lançada nos últimos processadores da Intel.

Investimentos de um banco que foi indicado pelo raking global da agência de notação financeira norte-americana Weiss Ratings como a instituição financeira mais forte do mundo.

Avaliado com conceito B+, que indica uma “boa segurança financeira e que ele tem recursos suficientes para lidar com uma série de condições econômicas adversas”.

A pesquisa mostra que os bancos com maior força financeira estão na América do Sul. Europa, Ásia e Estados Unidos dominam o ranking dos mais fracos.

Na lista, atrás do Banco do Brasil vêm Hang Seng Bank, de Hong Kong, e Turkiye Garanti, da Turquia. O último lugar é do italizano UniCredit.