Mobile será o principal mercado de games no futuro. Foto: Shutterstock.

O mercado móvel se consolidará ainda mais como a principal fonte de receita para desenvolvedores de jogos eletrônicos nos próximos anos. Quem aponta isso é a consultoria internacional DigiCapital.

Segundo a consultoria, a previsão é de que em 2016 os games móveis registrem um faturamento mundial de US$ 35 bilhões, o que corresponderá a 38% da receita desse setor, que deverá ser de US$ 90 bilhões.

O mobile ficará à frente de categorias como jogos para consoles; PCs; e MMO e MOBA (jogos online para múltiplos usuários). A informação é do Mobile Time.

Para os próximos cinco anos, o mercado mundial de games eletrônicos terá um crescimento médio anual de 7%, alcançando US$ 115 bilhões em 2020. Desse montante, os jogos mobile ampliarão sua liderança, atingindo uma receita de US$ 48 bilhões, uma fatia de 42% do total.

Segundo a DigiCapital, o aumento da parcela dos games móveis no faturamento total de jogos eletrônicos corresponderá a um crescimento de 37%.

Não é a toa que grandes empresas que antes produziam para consoles estão cada vez mais focando em dispositivos móveis para reforçar sua receita.

Exemplos disso são a Konami, que desativou diversas de suas divisões para focar em mobile, Electronic Arts e Activision Blizzard, que compraram diversos estudios menores de games móveis, e até mesmo a tradicional Nintendo, que prometeu para 2016 games mobile com alguns de seus personagens clássicos, como Mario e Donkey Kong.

A segunda categoria mais importante em participação no faturamento será a de MMO e MOBA, seguida por console, realidade virtual, advergames, PC (sem MMO e MOBA), web/social e jogos de realidade aumentada, nesta ordem.

Os EUA continuarão sendo o país que representará o maior mercado para games eletrônicos em geral em 2020. Mas a região com maior participação na receita será a Ásia, com destaque para Japão, Coreia do Sul e China: a Ásia responderá por 40% de todo o faturamento com jogos eletrônicos em 2020.