Messenger, WhatsApp e Instagram terão uma infraestrutura de mensagens unificada. Foto: Pexels.

O Facebook planeja integrar seus serviços de mensagens no Instagram, WhatsApp e Facebook Messenger.

A empresa vai manter os aplicativos independentes, mas eles serão vinculados de maneira mais profunda para que as mensagens possam “viajar” entre os diferentes serviços a partir de uma infraestrutura subjacente de mensagens unificada.

Uma reportagem do New York Times relata que quatro fontes falaram sobre o assunto. O movimento exige que milhares de funcionários do Facebook reconfigurem o funcionamento de WhatsApp, Instagram e Messenger em seus níveis mais básicos. 

De acordo com as fontes, o Facebook ainda está no estágio inicial desse projeto. O plano é concluir o trabalho até o final deste ano ou no início de 2020.

A ideia é que todos os aplicativos incorporem criptografia de ponta a ponta, um passo que protege as mensagens de serem vistas por qualquer pessoa, exceto os participantes da conversa. 

Depois que as alterações entrarem em vigor, um usuário do Facebook poderá enviar uma mensagem criptografada para alguém que tenha apenas uma conta do WhatsApp, por exemplo. 

Ao unir a infraestrutura dos aplicativos, a empresa busca aumentar a utilidade da rede social, mantendo seus bilhões de usuários altamente envolvidos em seu ecossistema. 

Em um comunicado, o Facebook disse que quer "construir as melhores experiências de mensagens que puder; e as pessoas querem que as mensagens sejam rápidas, simples, confiáveis ​​e particulares. Estamos trabalhando para tornar os nossos produtos de mensagens end-to-end mais criptografados e considerando maneiras de facilitar o contato com amigos e familiares em redes”.

O NYT reforça que unir os aplicativos do Facebook é uma reversão radical da postura anterior de Mark Zuckerberg em relação ao WhatsApp e ao Instagram, empresas independentes que foram adquiridas. 

Na época em que o Facebook comprou os produtos, Zuckerberg prometeu ao WhatsApp e ao Instagram muita autonomia.

As alterações também podem levantar questões de privacidade de dados devido à maneira como as informações do usuário podem ser compartilhadas entre os serviços. 

Hoje, o WhatsApp exige que os usuários registrem apenas um número de telefone para se inscrever no serviço. Por outro lado, Facebook e Facebook Messenger pedem que os cadastrados forneçam suas identidades reais. 

As mudanças devem proporcionar ao Facebook chance maior de faturar com o Instagram e o WhatsApp, que atualmente geram pouca receita, apesar de terem um grande número de usuários. O Instagram conta com 1 bilhão de usuários ativos mensais, enquanto o WhatsApp tem 1,5 bilhão.

De acordo com as fontes do NYT, Zuckerberg ainda não tem planos específicos para lucrar com a integração dos serviços. No entanto, o pensamento é que uma audiência mais engajada pode levar a novas formas de publicidade ou outros serviços pelos quais o Facebook pode vir a cobrar uma taxa.