Fundada em 2014, a Horus Aeronaves tem sede em Florianópolis. Foto: divulgação.

A Enel Brasil, concessionária de distribuição de energia elétrica controlada pelo grupo italiano Enel, adotou a solução da Horus, catarinense especializada em mapeamento com drones, para inspecionar redes de transmissão e distribuição, além de usinas solares e eólica.

O negócio aconteceu porque desde 2018 a Horus é uma das empresas participantes do Energy Start, programa de incentivo a startups da Enel no Brasil, financiado com recursos do Programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). 

Através do programa, a empresa recebeu um total de R$ 2 milhões para o desenvolvimento de um novo drone com foco nas operações de geração e distribuição do grupo no Brasil, além de uma imersão no Vale do Silício.

O drone desenvolvido, que conta com software de inteligência artificial embarcado e processado no próprio equipamento, está sendo utilizado em fase de testes nas distribuidoras da Enel Brasil nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Ceará. 

Até o final do projeto, o equipamento será usado para inspecionar 1 mil quilômetros de rede, além de ser usado para inspeção dos painéis fotovoltaicos e pás dos aerogeradores das usinas da Enel Green Power, braço de geração renovável do grupo Enel.

A Enel já empregava anteriormente o uso de drones para inspeções de campo, mas a tecnologia não conta com sistema de inteligência artificial embarcado e o processo de análise de imagens ainda é manual, a partir da análise do material por técnicos do grupo.

Com a análise em tempo real proporcionada pelo novo drone, a empresa acredita que a manutenção preventiva se tornará mais ágil e eficiente, reduzindo as interrupções no fornecimento de energia e aumentando o nível de disponibilidade das usinas para o sistema elétrico.

“Por meio de inteligência artificial, o drone consegue processar automaticamente e em tempo real as imagens captadas, identificando a falha e já priorizando o trabalho para as equipes de manutenção”, explica Bruno Cecchetti, diretor de tecnologia de rede da Enel Brasil.

Para permitir que o sistema de IA possa identificar problemas nas redes elétricas e nas usinas de geração, especialistas da Enel e da Horus trabalharam em uma etapa de coleta de imagens dos mais diversos tipos de ativos de energia e das anomalias encontradas. 

Essas informações foram adicionadas para treinamento do software, permitindo que a ferramenta pudesse ser capaz de avaliar as fotos capturadas nas inspeções e descobrisse a falha mais provável.

Os drones em teste também contam com câmera de inspeção termográfica e, neste primeiro momento, o recurso está sendo utilizado apenas nas usinas solares. Com ele é possível identificar placas fotovoltaicas com temperaturas fora do padrão, facilitando a sua manutenção.

A aposta da Enel Brasil é de que a solução também resulte em redução dos custos das inspeções e atividades de backoffice, além de diminuir o tempo de execução das inspeções e o risco de acidentes na operação das redes elétricas das distribuidoras e das usinas da EGP.

Como fruto da parceria para o desenvolvimento tecnológico da solução, a Enel detém parte da propriedade intelectual da tecnologia desenvolvida e tem direito a uma parte da receita líquida de royalties sobre a venda do produto e/ou serviço para outras empresas.

“Ter a oportunidade de desenvolver esse projeto pioneiro no Brasil, em parceria com a Enel, demonstra a capacidade em superar os desafios encontrados e aumentar a eficiência nos processos com tecnologia própria, inteligência artificial e drones”, afirma Lucas Bastos, COO da Horus.

Fundada em 2014, a Horus Aeronaves tem sede em Florianópolis, com a fábrica, desenvolvimento, administração e assistência técnica, além de escritório comercial e assistência técnica em Piracicaba, São Paulo.

Com quatro modelos de drones em seu portfólio, a empresa já levantou R$ 7 milhões em quatro rodadas de investimento.

Já a Enel é uma empresa italiana que atua no Brasil com geração, distribuição e transmissão de energia. No setor de geração, tem uma capacidade instalada total de cerca de 2,9 GW, dos quais 782 MW são de fonte eólica, 845 MW de solar e 1.269 MW de hidro. 

Em distribuição, o grupo atende mais de 17 milhões de clientes por meio de suas subsidiárias brasileiras em São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Goiás. No país, também possui e opera duas linhas de transmissão com uma capacidade total de 2.200 MW conectando o Brasil à Argentina. 

Globalmente, a Enel está presente em mais de 30 países, com cerca de 74 milhões de clientes finais corporativos e residenciais em distribuição de energia.