BlackBerry vende aparelhos no país. Foto: divulgação.

A BlackBerry anunciou dois novos contratos no Brasil para o fornecimento de smartphones para as empresas Odebrecht e JAC Motors, em um total de 7,4 mil aparelhos da fabricante.

A Odebrecht, empresa com mais de 190 mil funcionários e US$ 41,5 bilhões em faturamento em 2012, firmou um acordo com a fabricante canadense para atualizar sua base de 7 mil celulares, com 3,5 unidades já previstas para o primeiro ano de contrato.

O contrato com o Grupo SHC - controladora da JAC Motors - é mais modesto, com a aquisição de 220 smartphones BlackBerry 10 em um plano de expansão da já existente base de mais de 200 aparelhos BlackBerry OS 7.1, totalizando mais de 400 aparelhos BlackBerry em operação comercial. 

A empresa também fez um upgrade e adotou o BlackBerry Enterprise Service 10 como solução de gerenciamento de mobilidade empresarial para administrar e proteger seus aparelhos.

A Odebrecht definiu também o Enterprise Service 10 como solução de gerenciamento de mobilidade empresarial (EMM – Enterprise Mobility Manager em Inglês) para administrar e proteger sua base de smartphones.

Segundo afirma André Schneiter, CIO da Odebrecht, a BB 10 e o BES 10 foram escolhidos devido aos padrões de segurança e confiança oferecidos para as operações diárias da companhia.

“A flexibilidade e a privacidade que essa solução oferece para nossos executivos foi um fator decisivo para nossa escolha", destacou.

Os acordos no mercado nacional mostram que a empresa ainda tem seu nome respeitado entre as grandes corporações. No entanto, a fabricante ainda segue em grandes dificuldades financeiras. Globalmente, a companhia fechou 2013 no vermelho, com queda de cerca de 40% em suas vendas, mesmo com o lançamento de novos aparelhos e um novo sistema operacional.

Recentemente, a fabricante canadense esteve envolvida em uma transação de venda para o fundo de investimento canadense Fairfax por US$ 4,7 bilhões, mas o acordo não foi adiante.

Para dar uma sacudida no cenário, em novembro a empresa afastou o CEO Thorsten Heins e anunciou reformulações em sua estratégia para 2014. John Chen assumiu a cadeira interinamente.