Foto: divulgação.

A revolução digital trouxe muitos avanços para os negócios, muitos deles trazidos pela facilidade com que as aplicações e os dados são implementados desde o advento da nuvem. Muitas empresas têm migrado suas aplicações para a nuvem pública e se beneficiado de um modelo de implementação ágil, com pagamento baseado em consumo. 

Outras aplicações, porém, precisam ser mantidas nos data centers por questões de performance, de segurança ou de compliance. Segundo pesquisa do IDC realizada no início de 2020, 70% das aplicações empresariais estão fora da nuvem pública.

Quando essas aplicações são implementadas ou quando a infraestrutura que as comporta precisa ser ampliada ou renovada, as empresas enfrentam dificuldade com seus processos internos que podem levar meses entre a identificação da necessidade, passando pelo processo de compra, até a implementação do novo sistema ou migração das aplicações e dados para o novo hardware.

Por essa razão, ao fazer uma aquisição, as empresas se veem obrigadas a antecipar a demanda e fazem o sobreaprovisionamento, ou seja, compram equipamentos além da sua necessidade atual para atender demandas futuras, que podem se confirmar ou não, implicando em custos mais altos. Neste caso, é importante observar que a área de operações de TI deve monitorar frequentemente o uso da capacidade, considerar o tempo gasto com o processo de compra e solicitar mais recursos antes que eles se esgotem.

Tudo isso faz com que as empresas busquem um modelo de fornecimento de TI como serviço, com os benefícios da nuvem e que possa ser implementado em qualquer lugar, sem perder o controle da sua operação.

O HPE GreenLake é um modelo de oferta de serviços que traz a experiência da nuvem para os seus usuários. Ele possui um vasto portifólio, incluindo produtos HPE, como servidores, storage, proteção de dados e redes, passando por soluções de containers, máquinas virtuais (VMs), desktops virtuais (VDI), operações de machine learning (ML Ops) e SAP HANA, entre outros, em um modelo de serviços baseado em consumo, em qualquer lugar, desde a borda até o datacenter ou o colocation de sua preferência.

Slide1-1

O HPE GreenLake utiliza ferramentas de medição que garantem um modelo transparente de cobrança por uso real, que podem ser acessados através de uma plataforma única, chamada HPE GreenLake Central. Essa plataforma multifuncional permite que os usuários administrem as máquinas virtuais e containers, gerenciem a utilização da capacidade, recebam as análises de compliance feitas pela ferramenta, e consultem e analisem os custos do HPE GreenLake e de outras nuvens que a empresa tiver contratado, entre outros recursos.

Slide3-1

Além disso, o modelo do HPE GreenLake disponibiliza uma capacidade além da demanda requerida. Essa capacidade, que chamamos de buffer, é instalada no mesmo local onde a capacidade reservada é instalada, e sobre ela não há cobrança até que seja utilizado. O objetivo do buffer é atender as demandas de crescimento ou de novos projetos que não podem esperar o processo de compra. Com isso, o HPE GreenLake diminui o tempo de aquisição de infraestrutura de alguns meses para alguns minutos.

Slide2-1-1

Em resumo, o HPE GreenLake é um modelo de serviços de nuvem on-premise, com pagamento baseado em consumo real, sem pagamento inicial, sem sobreaprovisionamento de hardware, com entrega de capacidade além da demanda e com monitoramento e gerenciamento da infraestrutura, proporcionando um menor custo de aquisição, menos tempo para implementação dos projetos digitais, maior disponibilidade do ambiente e maior eficiência da TI.

Slide4-1

Quer saber mais sobre como aproveitar todas as vantagens do HPE Greenlake na sua empresa? Entre em contato com a Sercompe.

*Por Claudio Akio Nakandakare, Especialista de Vendas HPE GreenLake na Hewlett Packard Enterprise.