A companhia paulistana é especializada em moda masculina. Foto: divulgação.

A Highstil, indústria têxtil especializada em moda masculina, adotou a solução Cisco Meraki, com implantação da Econocom, para modernizar a plataforma de firewall que opera entre sua sede e fábricas no estado de São Paulo.

Como tinha um firewall antigo, que não suportava a expansão da infraestrutura para as fábricas, representantes e lojas, a companhia buscou por uma solução de segurança que suprisse essas necessidades.

“Precisávamos de uma infraestrutura homogênea e facilmente gerenciável que fosse escalável e se conectasse a outras soluções como switches, rede wi-fi e câmeras de segurança”, conta Marcelo Augusto, coordenador de infraestrutura da Highstil. 

Por ser uma empresa com foco no mercado consumer, também precisava de uma solução que prevenisse vazamentos de dados pessoais de seus clientes, além de contribuir com o alinhamento à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Para atender a essa demanda, a Econocom apresentou a solução Cisco Meraki ao time de ICT Security da Highstil, atuando desde as fases de projeto e implementação até a interface com o fabricante. 

A Econocom realizou uma prova de conceito (POC) em seu Labs e os consultores da companhia desenharam um painel de controle sob medida para a empresa, com uma interface de gerenciamento que apresenta KPIs sobre a segurança digital do negócio. 

A partir daí, os gestores da indústria elegeram a solução como a plataforma de renovação da segurança digital da empresa. Em uma semana, os sites foram programados e configurados de forma plug & play, sem interromper a operação no ambiente.

Quatro firewalls Meraki foram instalados na matriz e nas fábricas da Highstil, criando uma rede privada virtual (VPN, na sigla em inglês) entre os links remotos e a sede — o que forma uma espécie de barreira de proteção contra ataques cibernéticos.

A ferramenta bloqueia acessos indevidos à rede, controla portas, checa o tráfego criptografado, aponta as brechas que poderiam ser exploradas em um ataque, mantém a rede estável e dá alertas de segurança. 

O sistema também compreende a solução Advanced, Malware Protection (AMP), barrando vírus que chegam por arquivos, sites, documentos PDF, Youtube, comércio eletrônico e e-mails maliciosos.

Com a solução, também é possível evitar a contratação, junto às operadoras de telecom, de links Multiprotocol Label Switching (MPLS), tecnologia com um desempenho inferior à VPN baseada no firewall Cisco Meraki.

Como a Highstil está em franca expansão, uma das vantagens da plataforma para a companhia é a configuração feita em nuvem, de forma remota, sem necessidade de se deslocar para cada unidade fabril para executar o serviço.

Após a chegada da pandemia e o deslocamento dos colaboradores para trabalhar em casa, sentiu-se ainda mais a necessidade de contar com uma solução de segurança que bloqueasse ataques e desse mais tranquilidade ao trabalho remoto.

Outras vantagem apontada pela empresa é que o firewall oferece um ambiente homogêneo que suporta expansões conforme a demanda de segurança das fábricas. Anteriormente, várias operações eram realizadas de forma manual, com pouco espaço para escalar o ambiente.

Com mais de 50 anos de mercado, a paulistana Highstil tem 10 mil colaboradores e controla desde a plantação de algodão, produção de fios, tecelagem, tinturaria até a comercialização das peças nas redes de lojas próprias, franquias e multimarcas em todo território nacional. 

A indústria também possui a marca própria Plié, de lingerie modeladora. Seus produtos são vendidos no Brasil e exportados para todos os continentes.

O Grupo Econocom está presente em 18 países e tem receita de € 3 bilhões, sendo a primeira empresa global digital da Europa. No Brasil, a Econocom é uma consultoria especializada em soluções digitais. 

A Cisco, por sua vez, opera na América Latina desde 1993, contando atualmente com cerca de 2,5 mil funcionários e 5,7 mil parceiros, como é o caso da Econocom.