Funcionários no SAP Labs.

O SAP Labs, centro de desenvolvimento e suporte da SAP localizado em São Leopoldo, vai reajustar os salários dos seus cerca de 400 colaboradores em 7,66%.

A cifra é uma composição do INPC do período mais um aumento real de 1%, negociado com o Sindppd-RS na semana passada.

O acordo inclui ainda a redução da semana de trabalho de 44h para 40h. A redução de 10 meses para três do prazo de compensação/pagamento das horas extras do banco de horas com a redução do limite máximo das mesmas de 160 para 60.

As condições obtidas foram comemoradas pelo sindicato, que divulgou nota argumentando que o mesmo “ questiona os demais empresários e o Seprorgs, que afirmam não poder atender as reivindicações porque aumentariam muito os custos das empresas”.

Para o Sindppd-RS, o aumento “mostra que as empresas de TI podem pagar melhores salários”.

O Seprorgs vê justamente o contrário no aumento concedido pela SAP, lembrando que ele é a metade dos 2% de aumento real demandados pelo Sindppd-RS na negociação geral.

“Se a SAP, que é a SAP, está dando um aumento de 1% e o Sindppd-RS comemora, como eu vou pedir para micro e pequenas empresas darem mais aumento”, afirma Edgar Serrano, presidente do Seprorgs.

Serrano enfatiza que muitas empresas locais já deram aumentos de até 15% ao longo do ano para “resistir à concorrência pela mão de obra” e que o sindicato não pode “impor um custo extra”.

Na questão das horas, o empresário gaúcho vê “um alinhamento com o que a SAP já faz em São Paulo, onde a semana é de 40h”.

O presidente do Seprorgs aproveitou a ocasião para lembrar que operações como a da SAP, tem a parte dos seus negócios voltada à exportação totalmente desonerada de encargos trabalhistas e, no caso de São Leopoldo, estão desoneradas de ISS.

[Uma lei aprovada em 2009 em São Leopoldo permite reduções do ISS de até 1,5 ponto percentual abaixo do mínimo de 2% para empresas que gerem mais empregos].

A negociação entre Sindppd-RS e Seprorgs segue em curso.

A tendência parece ser que o Sindppd-RS negocie com mais dureza nessa ocasião, pois está rebaixando as demandas apresentadas na negociação de 2011, na qual saiu com as mãos vazias.
 
No ano passado, o sindicato pedia 11% de aumento – levou 5,39%, equivalentes ao INPC do período – e redução imediata da jornada de trabalho de 44h para 40h, o que também não levou.