THOR

Thoughtworks: plataforma para devs da Cielo

25/04/2022 12:28

Gigante de pagamentos contratou empresa para melhorar desenvolvimento.

Thor, o herói da Marvel. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Cielo, uma das maiores empresas de pagamentos do Brasil, contratou a Thoughtworks, uma multinacional de desenvolvimento de software, para construir uma plataforma digital focada no trabalho do seu próprio time interno de desenvolvedores.

Em nota, as empresas explicam que a plataforma, batizada de Thor, deve agilizar e habilitar a criação de novos recursos e componentes de tecnologia, padronizando a entrega de ambientes de infraestrutura e evitando que as equipes tenham que se preocupar com padrões arquiteturais e processos de infraestrutura. 

“Estamos empolgados em otimizar, simplificar e agilizar nossos ambientes de entrega para acelerar o tempo de lançamento de novos produtos e serviços para facilitar a vida dos nossos clientes”, afirma Mauro Gomide, diretor de tecnologia da Cielo

Como costuma acontecer nesse tipo de divulgações, faltam os detalhes picantes da história.

Isso porque a Cielo, uma organização que emprega algumas centenas de desenvolvedores, certamente tinha alguma solução focada em gerir esse trabalho da melhor forma possível.

Tendo em conta a sofisticação do negócio de pagamentos, é provável que essa solução fosse algum pacote de um grande fornecedor de soluções de desenvolvimento de software. A Thoughtworks, infelizmente, não diz qual era essa solução (IBM? Atlassian? Outros?).

De todas formas, a Thoughtworks tem muitas credenciais para um projeto do tipo que está fazendo na Cielo.

A empresa tem ela mesma um desenvolvimento de software complexo, com 10 mil pessoas distribuídas entre 49 escritórios e em 17 países.

A ThoughtWorks chegou ao Brasil em 2010, abrindo uma operação no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS em Porto Alegre. Depois foram agregados São Paulo, Recife e Belo Horizonte. Em 2017, a empresa tinha 515 funcionários no país. 

Mais do que o número em si, que não é especialmente grande no contexto mundial, conta para a Thoughtworks o fato da empresa ser  referência em métodos ágeis de desenvolvimento de software, o tema da vez na área de programação na última década pelo menos.

Fundada em 1993, a empresa tem uma reputação forte entre jovens profissionais, construída pelo pioneirismo no tema métodos ágeis (um dos principais executivos é Martin Fowler, um dos 17 signatários originais do Manifesto for Agile Software Development).

No começo do ano passado, a ThoughtWorks recebeu um aporte de US$ 720 milhões de um grupo de investidores, incluindo o GIC, um dos fundos soberanos de Cingapura, e a Siemens, gigante industrial alemã.

“Entre os resultados que serão obtidos no curto prazo, podemos destacar a abstração de uma nova camada de qualidade e segurança, que proporcionará uma redução na carga cognitiva, consequentemente reduzindo o tempo de lançamento e a construção de produtos digitais mais seguros e confiáveis”, explica Juliano Domingues, Technical Principal na Thoughtworks.

O projeto chega em um momento no qual a Cielo está fazendo modificações importantes na sua infraestrutura de TI.

Em novembro do ano passado, a Cielo divulgou que havia escolhido a AWS como “sua principal provedora de serviços de nuvem”.

A decisão foi divulgada em uma nota da AWS para a imprensa, sem maiores detalhes do que isso significa, ou qual é a duração do contrato.

A única informação mais prática é que a Cielo começou a migrar 900 servidores para a nuvem da AWS, o que de repente não é tanta coisa assim, falando da maior empresa de processamento de pagamentos do país.

Outra dado mais concreto é que 200 colaboradores da Cielo receberão treinamento da AWS em temas como arquitetura, desenvolvimento e dados.

A origem da Cielo é a Visanet, empresa fundada em 1995 por grandes bancos brasileiros, que, junto com a Redecard (hoje Rede), foi na prática um duopólio até 2009, quando acabou a exclusividade que as empresas tinham com Visa e Mastercard, respectivamente.

Veja também

CONTRATAÇÃO
PicPay tem novo CTO

Phill Calçado tem passagem de quatro anos pela ThoughtWorks.

METODOLOGIA
Lopes: espelhamento de times com Thoughtworks

No primeiro trimestre de 2021, o Lopes Labs atingiu um aumento de 494% dos leads gerados.

DIVERSIDADE
Itaú quer 40 desenvolvedores trans

Aprovados no processo serão contratados e terão programa médico especial.

LIDERANÇA
ThoughtWorks ganha um toque corporativo

Multinacional contrata duas novas heads no Brasil, com passagens por IBM, HP e Cognizant.

PAGAMENTOS
Merighi, ex-XP, é CTO na Elo

Empresa de cartões está se reinventando como um player de tecnologia.

FOGO
Hypeflame faz corte de equipe

Spin off de tecnologia do banco Agi fez 100 demissões, apontam fontes do Baguete.