A 99 recebeu um novo investimento de US$ 100 milhões para ampliar o 99Pop. Foto: Divulgação.

A 99 recebeu um novo investimento de US$ 100 milhões. O aporte foi feito pelo japonês Softbank, dono da operadora Sprint e parceira do Yahoo no Japão. 

No início deste ano, a 99 também recebeu US$ 100 milhões da chinesa Didi Chuxing e da norte-americana Riverwood. O Softbank também investe na Didi Chuxing, conhecida como Uber chinesa, que chegou a comprar as operações da rival americana no país.

Os recursos serão destinados para a estratégia de expansão do 99Pop, categoria da startup voltada para motoristas particulares (que segue o estilo do Uber) e não na unidade de táxis, pelo qual a empresa ficou conhecida inicialmente.

Nesse segmento, a empresa enfrenta também a concorrência do Cabify, que anunciou em abril o investimento de US$ 200 milhões com o objetivo de aumentar sua presença no Brasil.

Em janeiro, a Uber também realizou um investimento de R$ 200 milhões no Brasil, mas focada na abertura de uma central de atendimento em São Paulo. Com 2 mil empregos diretos inicialmente, a previsão é contar com uma equipe de até 7 mil pessoas até o final do ano.

Já a Easy, que, assim como a 99, surgiu com foco em táxis, parece estar ficando para trás no segmento de transporte particular. A empresa lançou seu serviço deste modelo - o EasyGo - na mesma época da chegada do 99Pop, mas não há notícias sobre novos investimentos.

Em entrevista ao New York Times, Peter Fernandez, CEO da 99, relatou que 50% das corridas da companhia em São Paulo já são do modelo 99Pop.

"Nós vamos precisar levantar muito mais capital. Este é apenas um passo em um caminho muito longo à nossa frente", completa.

A 99 tem entre seus investidores nomes como Monashees, Riverwood Capital, Qualcomm Ventures e Tiger Global Management.