Ideia é utilizar software em cerca de 750 leitos do hospital. Foto: divulgação.

O InovaHC, braço de tecnologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, está testando a ferramenta desenvolvida por pesquisadores do GAESI/USP com base na plataforma Elipse E3, da empresa Elipse Software, para monitorar equipamentos a distância.

Com apoio de especialistas da SPI Integração de Sistemas, o projeto-piloto está em fase final de testes e a ideia é utilizá-lo para controlar cerca de 750 leitos do hospital.

Os primeiros equipamentos monitorados à distância são bombas de infusão de fármacos, ventiladores e monitores multiparamétricos, essenciais nos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Por meio das telas do software, os profissionais de saúde poderão operar estes equipamentos em salas adjacentes aos leitos, onde são preparadas as medicações.

Para prover a comunicação do software com os equipamentos monitorados, as empresas responsáveis pela tecnologia têm desenvolvido drivers de comunicação para diversos equipamentos presentes em leitos hospitalares, com protocolos próprios, como B.Braun, Philips Respironics e HL7.

Por meio deles, a plataforma E3 consegue interagir e se conectar às bombas de infusão, ventiladores e respiradores, sendo capaz de monitorar dados do paciente, emitir alarmes e modificar parâmetros remotamente. 

As soluções são compatíveis ou adaptáveis a equipamentos de diferentes fabricantes.

Segundo a instituição, o projeto visa otimizar o atendimento e aumentar a segurança durante o tratamento de pacientes que necessitam de internação em UTIs e enfermarias no hospital, uma vez que o controle remoto reduz os riscos de contaminação pelo coronavírus.

“O objetivo é reduzir os riscos de contaminação à Covid-19 por parte dos profissionais de saúde para que possam tratar dos pacientes em estado grave com mais segurança, qualidade e agilidade”, salienta Fábio Correa, diretor de engenharia do HC e líder do projeto.

Além disso, não sendo mais necessária a presença constante destes profissionais nos leitos, haverá redução nos custos com os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como aventais, luvas, propés e máscaras.

Fundada em 1986, a Elipse tem sede em Porto Alegre e filiais em São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro e Taiwan, atuando também em países como Estados Unidos, Alemanha, Índia, Rússia, Suécia, Argentina e Chile.

O Complexo HC, ligado à Faculdade de Medicina da USP, iniciou as atividades em 1944 e hoje ocupa uma área total de 600 mil metros quadrados com cerca de 2,4 mil leitos distribuídos entre os seus oito institutos especializados e dois hospitais auxiliares.