Tallis Gomes. Foto: divulgação.

A Easy Taxi, startup carioca criadora de um app que auxilia usuários a encontrar e chamar táxis via smartphone, acaba de receber uma segunda rodada de investimento: foram R$ 30 milhões liberados pelo fundo LIH (Latin America Internet Holding), pertencente à Rocket Internet e à Milicom.

Lançada em abril de 2012, a startup recebeu em outubro do mesmo ano um aporte de R$ 10 milhões da Rocket Internet com o qual iniciou expansão nacional e internacional, chegando a 11 cidades brasileiras e nove capitais internacionais.

“Com o novo investimento queremos estar em pelo menos mais 25 países até o final deste ano, assim como ampliar nossa base de passageiros e taxistas”, afirma Tallis Gomes, CEO da Easy Taxi.

A lista de atuais locais com o app inclui Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília, Salvador, Recife, Fortaleza, Goiânia, Curitiba e Natal, (Bogotá, Lima, Santiago, Caracas, Cidade do México, Buenos Aires, Seul, Lagos e Kuala Lumpur.

Com quase 30 mil taxistas cadastrados e um milhão de downloads, o aplicativo está disponível em português, inglês, espanhol e coreano.

A Easy Taxi projetava fechar 2012 com faturamento de R$ 850 mil. O número ainda não foi confirmado, mas há projeção de crescimento de 85% em 2013.

O app gera receita com a cobrança de R$ 2 por corrida concluída a partir do serviço.

“Viemos nos consolidando como o maior aplicativo de táxi do mundo. Vejo um grande potencial em países emergentes, onde o transporte público é carente de iniciativas como a nossa”, acrescenta Dennis Wang, diretor de Expansão Internacional da startup.

O app da Easy Taxi pode ser baixado gratuitamente em smartphones com Android, iOS e Blackberry (Z10).

Também é possível solicitar táxis pelo site oficial a partrir de qualquer dispositivo com acesso à web.

“O processo de pedido de táxi é concluído em apenas alguns cliques e em menos de 10 minutos o veículo esta à disposição do passageiro”, afirma Gomes.

SEGURANÇA
Quem pede um veículo pelo aplicativo tem acesso a informações sobre o motorista (nome, carro, foto, placa e celular) e pode acompanhá-lo em tempo real via GPS.

Já o taxista sabe de antemão quem é o passageiro e onde está, pois o endereço é preenchido automaticamente por geolocalização.

Há também recursos para chamar táxis que possuam a opção de cartão de crédito e de favoritar endereços.

PONTO LOTADO
O mercado de aplicativos para táxis anda mais concorrido do que um carro livre para uma corrida às seis da tarde de uma sexta-feira de chuva nas capitais brasileiras.

Nos últimos seis meses, cerca de cinco novos apps foram anunciados, já de olho numa temporada rentável para o meio, com a chegada de eventos como a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos de 2016.

Além da Easy Taxi, a sergipana Taxiplon entrou na roda, assim como a porto-alegrense Ayza Tecnologia, que testa soluções na área, e outras, como TaxiJá, SaferTaxi e ScalaIT, com aplicativos do segmento.

Segundo dados do relatório Brazil Mobile Observatory, elaborado pela GSMA, o Brasil é o quarto maior mercado móvel do mundo, com mais de 260 milhões de dispositivos ativos.