Leonardo Orsi, CEO do Grupo i9. Foto: divulgação.

O Grupo i9, holding especializada em plataforma Microsoft com matriz em São Paulo e filiais em Curitiba e Rio de Janeiro, traçou um plano agressivo para os próximos quatro anos: a projeção é chegar a 2017 com faturamento de R$ 100 milhões, figurando entre as 60 maiores de TI do Brasil.

Para atingir a meta, nos próximos quatro anos o grupo planeja desacelerar a média de crescimento anual, que atualmente fica em torno de 90%, para 30%.

O plano começa a ser posto em prática este ano, quando a média de expansão baixa para cerca de 50% sobre 2012, devendo resultar em um faturamento de R$ 35 milhões.

O diretor Comercial e sócio da holding, Alexandre Marques, explica que a redução do ritmo de expansão é uma atitude preventiva para evitar problemas futuros de estrutura da empresa no ambiente colaborativo.

“Não podemos parar de crescer, mas temos que controlar esse crescimento dentro de uma margem saudável e com responsabilidade, tanto sob o ponto de vista financeiro quanto sob a ótica da qualidade das condições de trabalho da equipe”, explica Marques.

Já Leonardo Orsi, CEO do Grupo i9, destaca que a proposta de expandir gradativamente vem para justificar a ampliação acelerada dos últimos anos.

“Em 2010, por exemplo, chegamos ao ponto de incrementar em 250% o faturamento. Um índice assustador para uma empresa que tinha apenas três anos de vida”, aponta o CEO.

Quanto à estratégia de expansão na América Latina, o executivo salienta como foco a Colômbia e o Chile, onde, segundo ele, há demandas em aberto entre as corporações locais, mas carência de especialistas em TI para atendê-las em operação full service.

A expertise da i9 começou a se formar em 2007, quando a empresa passou a representar o ERP Dynamics AX, que então carecia de tropicalização para se adaptar às companhias locais.

Hoje, a operação se divide em cinco empresas: i9 Serviços (implantação do Dynamics AX), Inpartec (SharePoint), SuporTI (licenciamento e serviços de infraestrutura Microsoft), i9 RM (implantação e Suporte do Dynamics CRM) e i9 Pós (suporte pós-implantação do ERP).

“Percebíamos que a prestação de serviços em TI carecia de capacitação. Reunimos consultores especializados em ERP, premiados e certificados. Hoje, possuímos o título de única holding full service especialista na plataforma Microsoft da América Latina”, afirma o CEO.

Composta por 24 sócios, a i9 emprega mais de 200 colaboradores e reforça a estratégia de crescimento da Microsoft no mercado brasileiro de sistemas de gestão empresarial.

Resultado da compra de uma empresa dinamarquesa pela Microsoft em 2002, o Dynamics AX ainda tem uma base instalada pequena no Brasil.

Dos contratos que se sobressaem, alguns dos mais significativos estão no Sul, como é o caso da Lojas Colombo, cuja implantação iniciou em 2010 com consultoria da paulista MSBS Tridea, que acabou saindo do mercado, e o da Trensurb, que prepara uma licitação para o implantar o ERP, do qual já comprou R$ 193,5 mil em licenças, via Bioax, empresa especializada em Dynamics AX do Grupo Meta.