Itaú Unibanco adota solução da Asset Control. Foto: divulgação.

O Itaú Unibanco adotou a solução AC Plus, da Asset Control, fornecedora internacional de soluções e serviços de gestão de dados financeiros, para automatizar processos de coleta de dados.

A instituição, maior do país no segmento privado com um valor de mercado de US$ 98 bilhões, adotou a solução no final do ano passado para melhorar a qualidade de seus dados de referência e preços, assim como padronizar a gestão dos dados financeiros do banco.

De acordo com Matias Granata, diretor de liquidez e risco de mercado do Itaú Unibanco, a solução aumentou a eficiência operacional e permitiu que o banco executasse seus cálculos de risco mais rapidamente, com mais confiança para atender às estritas exigências de conformidade da região.

"O produto adaptou-se facilmente às idiossincrasias locais e foi capaz de suportar todos os desafios da tropicalização. A natureza transformacional do projeto, dentro do grupo, tem sido muito material, diretamente impactando a captura, coleta, armazenamento de dados e processos da construção de curva e ao mesmo tempo indiretamente remodelando o inteiro processo de risco de mercado", avaliou.

Segundo Richard Petti, CEO da Asset Control, ao adotar o AC Plus, o banco brasileiro implementou uma solução de categoria mundial para a gestão de seus dados.

"O banco investiu para aumentar a eficiência operacional, acrescentar transparência a toda a organização e colocar-se como um inovador e líder de mercado em seu controle de riscos e regulações", destacou Petti.

Com presença na Europa e na América do Norte, a Asset Control tem cerca de 25 anos de mercado, com especialização em soluções para o mercado financeiro, atendendo bancos grandes como Wells Fargo, Standard Chartered e Santander Group.

O investimento na solução da Asset Control vem no rastro de outros anúncios que o Itaú realizou no último ano. Em março o banco inaugurou em Mogi Mirim, interior de São Paulo, o seu maior data center no país, com a capacidade de realizar o processamento de todas as operações do banco, aumentando em 25 vezes sua atual capacidade instalada.

O local foi resultado de um investimento de R$ 3,3 bilhões, parte de um ciclo de investimentos de R$ 11,1 bilhões anunciados pela instituição de 2012 a 2015. Segundo o banco, o novo data center conferirá ao banco mais agilidade e disponibilidade, com capacidade para atender o crescimento dessa demanda até 2050.